Semadur aborda controle de resíduos por meio eletrônico durante sessão na Câmara Municipal

7Z2A2126 (Copy) Foto: David Majella

Campo Grande, 21/02/2019 às 14:19

Nesta quinta-feira (21), durante sessão ordinária da Câmara de Vereadores, o secretário municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana, Luís Eduardo Costa, apresentou as ações que estão sendo implementadas pela Prefeitura de Campo Grande com relação à gestão dos resíduos, cadastramento e emissão de controle de transporte e resíduos por meio eletrônico (E-CTR).

A Semadur vem aprimorando a fiscalização da destinação ou acondicionamento incorreto dos resíduos na cidade, por meio do E-CTR, que inclui o cadastramento e emissão de controle de transporte e resíduos por meio eletrônico

7Z2A2142 (Copy)O titular da Semadur Luiz Eduardo ainda destaca que a administração municipal não arcou com dinheiro público para o desenvolvimento e instalação do sistema.

“Com as parcerias firmadas com a iniciativa privada, conseguimos implantar o sistema que garante uma maior eficiência nas informações disponibilizadas e na efetivação das fiscalizações”.

Durante a audiência, foram abordados assuntos relacionados à logística do plano de gerenciamento, redução de custos, aplicação da Lei nº 6.159/2019, geração de emprego e renda e financiamento das cooperativas. A Lei prevê esse sistema traz uma série de normas para que a atividade de coleta, transporte e destinação de resíduos sólidos seja monitorada por meio eletrônico.

Ainda na audiência foi apresentado aos vereadores o Decreto Municipal nº 13.754, publicado em Diário no dia 09 de janeiro deste ano, que dispõe sobre as normas para que a atividade de coleta, transporte e destinação de resíduos sólidos seja monitorada por meio eletrônico em Campo Grande, inclusive quem não se cadastrar para utilização do sistema terá seus cadastros suspensos impedindo que o transportador de resíduos de construção civil e resíduos volumosos desempenhem suas atividades.

O titular da Semadur explica que 2019 é um ano transitório de implantação do sistema e que só trará benefícios para cidade.

7Z2A2076 (Copy)“A ferramenta vai auxiliar na fiscalização, com tecnologia a serviço da população, com regramento. Quem já faz de forma correta não vai sentir muita diferença. Quem não percebe o coletivo e só pensa na rentabilidade, a fiscalização vai autuar com firmeza”, afirma Luiz Eduardo.

De acordo com Luiz Eduardo, com este sistema haverá gestão sobre o controle dos resíduos da construção de Campo Grande.

“Por várias décadas não se consegue colocar os resíduos no local correto e para isto nós estamos trabalhando com um assunto complexo que são os restos das construções que podem ser reaproveitados em diversos setores e outro ponto positivo e a redução das montanhas de entulhos como aconteceu no Jardim Noroeste. E quem vai ganhar com isto são as futuras gerações. Este trabalho vai evitar o acumulo de entulhos nos bairros da cidade, porque as pessoas que moram nos bairros precisam viver em locais limpos e não ter problemas com animais peçonhentos, traças e escorpiões que trazem riscos para a saúde”. Reforça Luiz Eduardo.

Também estiveram presentes o diretor-presidente da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), Janine de Lima Bruno,  e o representante da Associação Campo-grandense de Locação de Bens Móveis (ACLBM), Bruno de Brito Curto.

 

Rede Municipal de Sites e Serviços On-line de Campo Grande MS

http://www.campogrande.ms.gov.br/