Projeto “Valorização da Vida” promove capacitação para professores da Reme

Campo Grande, 12/11/2018 às 13:09

Ação que teve início em maio deste ano e já rendeu diversas ações em unidades da Rede Municipal de Ensino (Reme), o projeto “Valorização da Vida”, idealizado pela Superintendência de Gestão e Normas da Secretaria Municipal de Educação (Semed), está contemplando, a partir desta segunda-feira (12), professores das disciplinas de Educação Física, Língua Portuguesa e Matemática.

Desenvolvido em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Hospital Universitário e Corpo de Bombeiros, a capacitação teve início nesta manhã (12) e acontece até quarta-feira (14), no Colégio Adventista. O evento  vai reunir 1,3 mil profissionais, que durante três dias irão ouvir palestra do capitão do Corpo de Bombeiros, especialista em dependência química, Edilson dos Reis, que irá abordar os fatores que levam os jovens e crianças à depressão, detalhando seus sintomas.

O capitão também está abordando as causas dos conflitos interpessoais na família e na escola, oferecendo subsídios aos professores para que eles identifiquem os sintomas e tenham embasamento para oferecer suporte, além de realizar os encaminhamentos necessários.

A secretária municipal de Educação, Elza Fernandes, disse que a formação é importante, pois oferece um olhar diferenciado aos profissionais, dentro das unidades. “Temos uma preocupação muito grande em detectar esses conflitos em nossos alunos para que, quando nos depararmos com uma situação de depressão, por exemplo, possamos ter um direcionamento sobre como proceder”, destacou.

A superintende de Gestão e Normas da Semed, Alelis Izabel de Oliveira Gomes, ressaltou que a depressão é um tema que precisa ser abordado e discutido. “É uma questão séria e precisamos ter preparo para ajudar nossos alunos, por isso tivemos a ideia de realizar esta ação inédita, que vem acontecendo desde o início do ano para que os professores conheçam melhor o problema”, afirmou.

O capitão Edilson dos Reis elogiou a iniciativa da prefeitura, por meio da Semed, que desde ao no passado vem realização atividades e capacitações que tem como foco a valorização da vida, buscando auxiliar os alunos que apresentam sintomas depressivos a superarem o problema. “É importante uma ação em conjunto para combater esse mal, por isso precisamos focar nas relações entre pais e filhos e alunos e professores”, disse.

Ele observa que a capacitação tem uma relevância diferenciada para os professores, já que eles estão na ponta do processo, mais próximos dos alunos. “É importante que o profissional esteja bem para auxiliar um aluno. A formação serve para isso também, para mostrar que é fundamental o professor se resguardar e ter equilíbrio para lidar com as situações”, pontuou.

O professor João Antônio Máximo dos Anjos conta que já vivenciou casos de alunos com depressão e, por isso, considera importante a capacitação. “Muitas vezes quando nos deparamos com uma situação dessas, nem sempre sabemos como agir. Por isso  acredito que a formação vai nos dar essa segurança e as informações necessárias para ajudar o aluno”, observou.

Etapas

A formação aos professores é a terceira etapa do projeto, que já atendeu diretores, diretores-adjuntos e coordenadores pedagógicos, totalizando 500 profissionais que assistiram as palestras do capitão Reis.

Outra ação paralela ao projeto, voltada ao fortalecimento dos vínculos familiares, também foi realizada nas escolas Isauro Bento e Maestro João Corrêa Ribeiro. Coordenada por uma equipe de psicólogas e psicopedagogas da Reme, a atividade consistiu em desenvolver, junto aos alunos, atividades lúdicas que estimularam o  autoconhecimento dos alunos, elevando a autoestima.

Para os pais, o capitão Edilson dos Reis ministrou palestra com foco no fortalecimento dos laços afetivos, destacando a importância do acolhimento e da atenção familiar.

De acordo com as  técnicas, as atividades ocorridas nas escolas foram o inicio de um projeto que deve se estender na Reme, levando palestras, atividades lúdicas e recreativas, principalmente às unidades distantes dos CAPs e postos de saúde.