Projeto idealizado pela prefeitura valoriza idosos atendidos por secretaria

Campo Grande, 24/08/2018 às 18:03

O projeto “Resgate da História de Vida e Talentos” realizado pela SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social), através do Centro de Convivência do Idoso- CCI Elias Lahdo, promoveu nessa sexta- feira um momento de integração e resgate da história de vida dos idosos.

IMG_20180824_135252455O objetivo principal é proporcionar aos idosos, um momento de lazer, cultura, resgate das memórias, sua integração na comunidade e vivências, pois além de ouvir, eles serão instigados a contar suas próprias histórias, as quais serão recontadas por meio de criação de seus trabalhos, o que possibilita uma reflexão sobre a trajetória de vida, configurando um novo olhar sobre o processo de envelhecimento, para que as experiências vividas pudessem serem compartilhadas com outros usuários e familiares.

Emocionada, a coordenadora Ala Lia Manvailer, relatou que ao assumir a unidade percebeu que os idosos apresentavam a necessidade de estreitar o vínculo familiar e foi então que decidiu promover o projeto envolvendo os netos e a própria comunidade.

“Fui conversando com eles muitos falaram que a família precisava saber o quanto eles se sentiam vivos, mais jovens, por estar aqui. Foi então que fiz o resgate da história deles, contando a biografia de cada um e seus feitos desde que ingressaram no CCI. Foi surpreendente porque isso mexeu com todos, até os homens que não são fãs de ginástica começaram a participar das aulas. Quem tem neto, nós promovemos brincadeiras antigas entre eles. Foi emocionante! Tudo mudou, a frequência aumentou, a auto – estima deles aumentou e eles se sentem valorizados.”

Para o secretário esse projeto é importante para o resgate dos valores de cada um, que além de resgatar a história, o resgate a auto – estima possibilita a vontade de viver e a melhoria da qualidade de vida.

“É uma alegria muito grande ver que idoso se sente valorizado. Além disso eles podem ensinar outras pessoas que estão aqui no Centro de Convivência a aprender aquilo que sabem, repassar o ensinamento uns para os outros.”

Dona Nilza de Jesus, 77 anos, viúva há 5 anos, contou que está vivendo uma fase mais feliz e graças a tudo que tem vivenciado no CCI, tem possibilitado uma boa relação com os filhos, netos e até com os vizinhos. “Tem um ano que comecei a frequentar o CCI, gosto de todas as atividades, de me relacionar com todos. Aqui me sinto bem e aprendi a ajudar as pessoas e me realizar com isso.”

Masashige Higa, 72 anos, nasceu no Japão mas mora no Brasil desde os 12 anos. Entre idas e vindas do Estado, aqui construiu a vida e família. Ele conta que em um momento da vida largou tudo e foi embora para o Japão novamente e de lá conheceu o CCI através da esposa.

“Quando voltei ao Brasil, fiz questão de conhecer mais de perto o trabalho do Centro de Convivência. Aprendi a fazer amizade, entrei para o coral, aula de violão e até ginástica eu faço. Minha motivação é que todos conheçam o CCI, um lugar onde todos se respeitam, um lugar onde tem tudo desde amizades, saúde e principalmente respeito ao próximo.”