Prefeitura promove final do 1º Campeonato de Jogos Eletrônicos Campo-grandense neste fim de semana

Campo Grande, 07/12/2021 às 10:44

A Prefeitura Municipal de Campo Grande, por meio da Fundação Municipal do Esporte (Funesp), em parceria com a Secretaria Municipal da Juventude (Sejuv), com o apoio da Federação de e-Sports Eletrônicos de Mato Grosso do Sul (Fesp/MS) e da Agência Municipal de Tecnologia da Informação e Inovação (Agetec), realizarão nos dias 11 e 12 deste mês, as finais do 1º Campeonato de Jogos Eletrônicos Campo-grandense.

Os jogos terão início no Ginásio Guanandizão, a partir das 9h de sábado (11), com a categoria dos 7 aos 13 anos com o jogo Clash Royalle. No período vespertino é a vez das equipes escolares da categoria de 14 a 17 anos disputarem, a partir das 13h, o jogo Free Fire. No domingo (12), a partir das 13h, as equipes da categoria livre disputarão R$ 9 mil em prêmios, no jogo de Free Fire.

O primeiro campeonato de jogos eletrônicos público do Brasil foi lançado pela Prefeitura Municipal de Campo Grande, no dia 17 de setembro. Em três meses de competição, foram 382 equipes de Free Fire e 123 atletas de Clash Royalle e para a final restaram 53 finalistas.

Para a secretária da Juventude Laura Miranda, as finais do campeonato consolida a parceria entre as secretarias e federação. “Nós somos uma secretaria que em conjunto com outras pastas municipais, podemos promover cultura, esporte e lazer aos jovens e participar da final dos jogos eletrônico é um presente para a Sejuv”, explica a secretária Laura Miranda.

Segundo o vice-presidente da Federação de E-Sports Eletrônicos de Mato Grosso do Sul, André Lacerda, a realização dos jogos eletrônicos proporciona interação social através da tecnologia. “A Federação de Jogos Eletrônicos de MS agradece a todos os parceiros que atuaram junto na construção do 1º Campeonato de Jogos Eletrônicos Campo-grandense, para nós foi uma alegria em testemunhar o maior evento de E-sports, isso mostra que a Fesp/MS está para abrigar e contextualizar este cenário que já existia em nossa cidade” conclui André Lacerda.