Prefeito entrega documento a ministro solicitando aumento de repasse

Campo Grande, 19/01/2017 às 18:09

Durante visita do ministro da Saúde, Ricardo Barros, a Campo Grande, nesta quinta-feira (19), o prefeito Marquinhos Trad entregou um documento solicitando aumento do repasse para Campo Grande. O pedido foi referendado pela Comissão Intergestora bipartite, baseado no fato de Campo Grande, hoje, não atender apenas a sua população, mas a do estado inteiro.

Referência em Mato Grosso do Sul nos tratamentos de média e alta complexidade, a Capital  tem gasto muito superior ao que é repassado pela União. Baseado nisso, o prefeito Marquinhos Trad solicitou a liberação do percentual acordado de 40% do recurso destinado para a ampliação da oferta de serviços de média e alta complexidade, chegando a R$ 67,840 milhões anuais, o que possibilitará um atendimento de mais qualidade para todos.

“Estamos no inicio da nossa gestão e a vinda do ministro é para nos ajudar. Tudo que vem para ajudar, para reconstruir é muito bom. O importante é agora nós irmos até Brasília e buscarmos mais recursos para a nossa cidade”, salientou o prefeito.

Marquinhos lembrou que os recursos anunciados hoje por Ricardo Barros já estavam previamente programados. Mas, a vinda dele e o anúncio de término na sobras do Hospital do Trauma é uma grande novidade. “A promessa dele é que em junho vamos estar inaugurando o Hospital do Trauma”, salientou.

Repasses para MS

Além da entrega do documento e o anúncio do término do Hospital do Trauma, o ministro Ricardo Bastos anunciou a liberação de R$ 82,4 milhões para Mato Grosso Sul, sendo R$ 73,9 milhões para Campo Grande. Os recursos são referentes a emendas parlamentares e investimentos do Governo Federal destinados ao custeio de 37 serviços/leitos que estão funcionando e passam a contar com a contrapartida federal para habilitação ou qualificação no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Nós estamos aqui hoje para anunciar R$ 82 milhões de repasse para a Saúde, verbas de bancada (nossa bancada federal), que vem priorizar a Saúde aqui do estado. Quinze milhões são de custeio permanente para o serviço de saúde do estado, e varias cidades também, R$ 4 milhões para este hospital, para a Santa Casa, na área de trauma”, finalizou Ricardo Barros.