Prefeitura discute benefícios da Rota Bioceânica para Campo Grande

WhatsApp Image 2019-08-01 at 22.22.04

Campo Grande, 02/08/2019 às 11:35

A RILA – Rota de Integração Latino Americana – também chamada de Corredor Biocêanico, foi tema de evento que a Prefeitura de Campo Grande, por meio da Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e de Ciência e Tecnologia), realizou na noite quinta-feira (1º) no Museu das Culturas Dom Bosco, altos da Avenida Afonso Pena. O evento foi o primeiro da programação da Sedesc em comemoração aos 120 anos de Campo Grande. Houve três palestras e um talk show com participação de especialistas sobre o assunto.WhatsApp Image 2019-08-01 at 19.30.47

Representando o prefeito Marquinhos Trad, o secretário de Governo e Relações Institucionais, Antônio Alves Lacerda, destacou a importância do futuro corredor de transportes que ligará o Atlântico ao Pacífico. “Essa Rota Bioceânica vai transformar Campo Grande em um pólo logístico de grande porte, trazendo desenvolvimento ainda maior em pouco tempo. O prefeito Marquinhos Trad está preparando nossa cidade para ser a porta de entrada dessa rica região da América do Sul, criando o ambiente sócio-empresarial e tecnológico ideal para que isso ocorra no melhor momento”, afirmou Lacerda.

Herbert Assunção, secretário da Sedesc, ressaltou a importância do Corredor Bioceânico para o fortalecimento do turismo porque a rota permitirá, além do transporte de mercadorias, o acesso à belezas naturais localizadas no traçado da rota. “Campo Grande será a porta de entrada para a o novo caminho em direção à Ásia e ao oeste dos Estados Unidos via Pacífico. Nossa Capital vai experimentar o gosto de ser o maior entreposto logístico da América do Sul com a chegada de grandes empresas e abertura de um mercado de trabalho realmente pujante”, afirmou Assunção.

PALESTRAS

A primeira palestra da noite foi proferida pelo senador Nelson Trad Filho, que destacou as negociações políticas realizadas visando agilizar a autorização para construção da ponte ligando Brasil ao Paraguai a partir de Porto Murtinho. A construção da obra será financiada pela Itaipu Binacional.

Em seguida, Claudio Antônio Cavol, presidente da Setlog/MS, falou sobre as “Vantagens da Saída Via Pacífico” e o diretor da Camarbra- Câmara de Comércio Argentino Brasileira – Gustavo Segré, encerrou a primeira parte do evento falando sobre “Corredor Bioceânico, Potencialidades e Objetivos”.

Após a palestra foi realizado um talk show com participação do empresário Claudio Antônio Cavol; Fábio Edir dos Santos Costa, reitor da UEMS; Ricardo Caballero Aquino, embaixador do Paraguai; e Gustavo Segré, da Camarbra.

O futuro corredor rodoviário bioceânico é um projeto de integração econômica e produtiva na área de logística. A efetivação dessa rota fará a interligação do Brasil com os portos chilenos de Iquique e Antofagasta, transformando Campo Grande em um importante centro de distribuição logística de produtos de exportação e importação para o Brasil, Paraguai, Argentina e Chile, além do mercado asiático.

A Rota beneficiará substancialmente a economia dos países e o desenvolvimento das cidades e, neste caso, com destaque para o turismo. A RILA tem despertado a atenção não só de empresários e governos, mas, sobretudo, da comunidade nacional e internacional.

Mais que um tráfego de mercadorias, a nova rota será um fator de integração aos demais territórios, uma vez que há muita riqueza cultural, paisagística e econômica nas regiões cortadas pela rodovia. Atualmente não existe uma rota que una as belezas do Pantanal, Bonito, Chaco Paraguaio, Cordilheira dos Andes, deserto do Atacama e as praias do Pacífico. A Rota de Integração vai encurtar a distância do Brasil até o mercado asiático, o principal consumidor de commodities do mundo.

Rede Municipal de Sites e Serviços On-line de Campo Grande MS

http://www.campogrande.ms.gov.br/