Prefeitura assina aditivos com Hospital do Câncer e assegura atendimentos

Campo Grande, 17/01/2017 às 18:10

O prefeito Marquinhos Trad e o secretário municipal de Saúde Marcelo Vilela, assinaram, na tarde desta terça-feira (17), dois termos aditivos para o Hospital do Câncer Alfredo Abrão. O repasse, que estava atrasado desde 2 de outubro passado, quando o contrato com a Prefeitura de Campo Grande venceu, vai garantir a realização de mais de 16 mil procedimentos ao mês.

@3O secretário de saúde, Marcelo Vilela, lembrou durante a assinatura do termo que mais um imbróglio se desenrola com a saúde da Capital. “O Hospital do Câncer presta um serviço muito importante para nossa rede de atendimento de média e alta complexidade. No ano de 2016, a partir de outubro, começaram a atrasar os repasses. O Hospital do Câncer teve que entrar na Justiça pra assegurar o recurso. A gente está conseguindo agora acertar e honrar o compromisso com o Hospital do Câncer”, afirmou.

Os dois termos aditivos, assinados hoje, garantem o pagamento atrasado e a manutenção do contrato de serviços com a prefeitura até 31 de março deste ano.

“Ao mesmo tempo a gente regulariza até março um novo contrato, para  fazer um recontratualização deste serviço e garantir os recursos para o hospital”, completou o secretário.

Marquinhos lembrou que o dever do gestor é justamente dar a assistência necessária às pessoas que estão passando por uma doença tão devastadora como o câncer.

“O poder público não pode cruzar os braços e, mais do que cruzar os braços, não pode ser indiferente, frio, ao ponto de deixar as coisas acontecerem sem estender as mãos. Todos nós sabemos que a partir do momento que você recebe a noticia de uma enfermidade tal qual essa é como se fosse uma pena de morte nesse país. Uma pena de morte que leva a depressão daquele que recebe, e ao desespero  todos os entes que gostam. Por mais que se fale tenha fé ou vamos orar, a pessoa chega aqui já perguntando quanto tempo eu vou ter de vida? E quando a gente vê o município deixar vencer contrato e dizer: não repasso nada, e judicializa se quiser, isso é muito triste”, enfatizou Marquinhos.

@5Diante dos atrasos, o prefeito procurou o hospital logo que assumiu a prefeitura e conseguiu uma solução, contando com apoio  do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

“Vendo essa situação, entramos em contato com a direção do hospital, conversamos com o Carlos e tivemos que ir ao Tribunal de Justiça. Conseguimos graças a sensibilidade do Dr. Alexandre Bastos (desembargador). E hoje, praticamente, colocamos em dia toda a situação aqui desse hospital”, detalhou.

Para terminar, o diretor financeiro do hospital, Cláudio Osório Machado, fez questão de registrar a satisfação com a atual gestão, que resolveu problemas arrastados há meses.

“Quero registrar a nossa satisfação com a maneira diferente com que o nosso prefeito Marquinhos Trad vem tratando, vem conduzindo a administração dele, com a sua equipe. Não posso dizer que é uma grata surpresa, porque surpresa é quando a gente não espera. E a gente espera realmente um procedimento correto, um procedimento profissional, que é o que está acontecendo. Todo ano temos uma dificuldade muito grande na virada de ano, pela troca de chave, de comandos da prefeitura, da Sesau, dos bancos, enfim, uma série de coisas. E principalmente agora que nós vínhamos de uma situação de judicialização, de troca de prefeito. Então, eu confesso que, como financeiro, estava bastante preocupado com esses primeiros meses do ano de 2017.  Para satisfação nossa, vi que toda a minha preocupação, graças a Deus, foi por água abaixo”, finalizou.

Participaram da coletiva o prefeito Marquinhos Trad, o secretário municipal de saúde Marcelo Vilela, o diretor financeiro do Hospital do Câncer, Cláudio Osório Machado, e representando o diretor-geral Carlos Coimbra, sua mãe, Marilene Coimbra.

Dados adicionais

O hospital realiza em torno de 16 mil procedimentos mês, sendo estes exames clínicos e de imagem, consultas, tratamento de quimioterapia, tratamento de radioterapia, atendimento multiprofissional (fisioterapia, nutrição, psicologia, assistente social), internações clinicas e cirúrgicas.

São atendidos em torno de mil pacientes ao mês para tratamento de quimioterapia, duzentas cirurgias, 90 pacientes de radioterapia. Possui 46 leitos clínicos e cirúrgicos, 10 leitos de UTI e 98% dos atendimentos são direcionados ao SUS. Representa 40% do atendimento oncológico do Estado de Mato Grosso do Sul.

O orçamento mensal do convênio do Hospital do Câncer é de R$ 1.780.912,95
Recursos da União: 1.316.115,41
Recursos do Estado: 100.000,00
Recursos da Prefeitura: 364.797,54