Novos moradores do Loteamento Parque dos Sabiás comemoram a mudança para a casa própria

Campo Grande, 28/05/2021 às 16:55

Ter um cantinho para chamar de seu é o sonho de muitos brasileiros e, nesta sexta-feira (28), 30 famílias que viviam no condenado reassentamento Vespasiano Martins, receberam as chaves do seu lar. A alegria pode ser vista no rosto de cada um que comemorava com emoção a mudança para um local seguro.

Dona Leni Santino de Moura contou que está muito satisfeita com a própria casa. “Hoje vou pegar a chave, a partir de agora, vou poder receber minha família com conforto, em uma casa com tudo, com piso. Eu tô chorando faz hora de emoção”, disse.

Quem também não conteve a emoção foi Prenda Lili. “Eu estou muito feliz. Quero agradecer a todos que estão aqui recebendo essas casas, mas primeiramente a Deus, por tudo que estamos recebendo, e também ao prefeito Marquinhos Trad que colocou essas casas nos nossos caminhos. É muita felicidade”, afirmou.

Já Edna Marcelino da Silva recordou os anos em que saiu da favela Cidade de Deus, onde morou por 5 anos, e depois foi reassentada no Vespasiano Martins, que acabou sendo condenado e as famílias precisaram ser retiradas do local. “Morei quase 5 anos lá. E agora eu vou ter uma moradia digna! Eu entrei ali e já entrei orando, agradecendo a Deus. Acho que agora vou viver uns 20 anos a mais, porque agora eu vou morar bem, em um lugar bonito, gostoso”, enumerava.

O empreendimento que foi todo construído com recursos próprios da Prefeitura de Campo Grande, após um hiato de 15 anos, sem construção feitas integralmente com recursos próprios, contemplará 42 famílias do Vespasiano Martins e mais 5 unidades serão destinadas às  famílias em situação de vulnerabilidade, a pedido do Ministério Público Estadual (MPE-MS).

São 47 casas destinadas, que foram construídas, por intermédio do inovador programa Credihabita, da Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários (Amhasf), no qual foi possível a aquisição de materiais de construção e a contratação de assistência técnica (modalidade ATHIS – Assistência Técnica para Habitação de Interesse Social) para viabilizar este empreendimento.

“As famílias vão morar em lugar digno, como todo ser humano merece, com toda infraestrutura necessária, de escola, de Emei, de UBS… Uma área bem dotada de equipamentos comunitários. Tudo isso só vem ao encontro do que essa comunidade merece”, afirmou o prefeito Marquinhos Trad.

A vice-prefeita Adriane Lopes fez questão de parabenizar a todos os envolvidos nesta ação que atende as famílias mais vulneráveis da cidade. “Estamos muito felizes nesta tarde, na entrega dessas novas casas, construídas em sua totalidade com recursos próprios da Prefeitura de Campo Grande. Deixo aqui meu agradecimento a todos que participaram desta ação”, frisou.

A Prefeitura de Campo Grande investiu R$ 2.632.000,00 na construção de moradias dignas destinadas às famílias que aguardavam há anos a oportunidade de morar em um local seguro e definitivo. A previsão para a entrega das 17 unidades restantes será em até 60 dias.

A diretora presidente da Amhasf, Maria Helena Buggi, também falou da satisfação em entregar as moradias aos antigos moradores do Vespasiano Martins. “Eles estão recebendo suas novas moradias aqui no Parque dos Sabiás e nós temos uma história para contar aqui. Todos eles são antigos moradores da Cidade de Deus, que foram reassentados para o Vespasiano Martins, e posteriormente também tiveram que sair dali porque as moradias foram condenados através de um laudo técnico. Na atual administração foi feita uma nova proposta e agora estamos concretizando uma moradia digna para todos”, explicou.

Histórico de luta e superação

Em 2016, 42 famílias provenientes da extinta comunidade Cidade de Deus foram reassentadas em área da Capital conhecida por Vespasiano Martins. Logo após a mudança, elas haviam percebido que as estruturas de alvenaria logo apresentariam diversas patologias de construção.

Em 2017, durante o primeiro ano da atual gestão foi contratada empresa de engenharia que produziu, com total isenção, laudo técnico a fim de avaliar as moradias e o resultado foi recebido com surpresa pela municipalidade: o solo aflorante não era propício para a construção, portanto, todo o reassentamento estava condenado, ou seja, impróprio para moradia. A partir de então, a Prefeitura de Campo Grande, por intermédio do trabalho técnico da Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários (Amhsf), reuniu esforços para viabilizar um novo empreendimento devidamente seguro e adequado às famílias dessa comunidade.

O objetivo do reassentamento de famílias no Loteamento Parque dos Sabiás, localizado no Bairro Lageado, portanto, é proporcionar a melhoria da qualidade de vida e devida inserção à malha urbana, por meio de diversas ações em conjunto entre as diversas instâncias do Executivo Municipal.