Monitoramento e buscas ativas agilizam atendimento da Prefeitura às famílias atingidas pela chuva

Campo Grande, 25/10/2021 às 13:00

As buscas ativas realizadas nas sete regiões da Capital e o monitoramento feito via grupos de Whats App pelas equipes dos 21 Cras (Centros de Referência em Assistência Social) possibilitaram à Prefeitura de Campo Grande realizar um atendimento rápido às famílias atingidas pelo temporal na madrugada deste sábado (23).

De domingo até o final da manhã desta segunda-feira (25), as equipes contabilizaram atendimento a 20 famílias –  quatro na região do bairro Zé Pereira, 15 na aldeia Água Bonita, região do Vida Nova e uma na Moreninha IV, território atendido pelo Cras “Alair Barbosa de Rezende”. Foram entregues 18 cestas básicas, mais de dez colchões e 30 cobertores.

Já refeita do susto que passou com o pequeno Rafael de um ano, a dona-de-casa Kamille Vitória Pereira do Nascimento, foi uma das primeiras a ser atendida pela equipe do Cras “Severino Emperador Palazuelos, na região do Zé Pereira. Ela conta que a força do vento levou parte do forro de sua casa, molhando os colchões do quarto do bebê. “Fiquei com muito medo. Liguei para o Corpo de Bombeiros e eles me levaram para a casa da minha mãe ainda durante a chuva”, contou.

Ao tomar conhecimento da situação, a equipe do Cras logo cedo foi até a casa de Kamille para entregar colchões, cesta básica e cobertores. Desempregada, ela conta apenas com a renda do marido, que é pintor e está viajando a serviço. “Fiquei muito surpresa porque o atendimento foi rápido. Até leite especial para bebês trouxeram para meu filho. Estou muito feliz”, destacou Kamille, que também recebeu orientação da equipe para ir até o Cras fazer sua inscrição no Cadastro Único “Não sabia que tinha direito e foi ótimo eles virem em casa porque também me explicaram sobre esse benefício”, afirmou.

Morador na Moreninha IV, João do Nascimento foi atendido na manhã desta segunda-feira (25) com colchões pela equipe do Cras. Segundo o coordenador da unidade, João Henrique Bezerra, a família vem sendo acompanhada desde a semana passada e também já recebeu cestas básicas. “Meu processo de aposentadoria está difícil, se não fosse o pessoal do Cras socorrer a gente não sei como ia ser”, afirmou João do Nascimento que mora na casa com a mulher, Luzia Elias.

Acompanhamento próximo

A busca ativa também foi fundamental para a dona-de-casa Cleodes Aparecida de Oliveira Chaves, que mora na Vila Palmira. Mãe de um menino autista, ela contou à coordenadora do Cras que atende a região do Zé Pereira, que tem muita dificuldade para sair de casa, por isso ficou aliviada ao ver a equipe percorrendo as ruas do bairro logo após as chuvas.

“Entregamos colchão e cobertas para ela e agora faremos um acompanhamento contínuo domiciliar, já que ela tem essa dificuldade de sair para resolver questões burocráticas”, pontuou a coordenadora Rita Elaine Monteiro Andrade Bitencourt.

Desde o vendaval de poeira que atingiu a Capital no dia 15 de outubro até a manhã desta segunda-feira (25), a SAS já atendeu 126 famílias e entregou 99 cestas básicas, 53 colchões e 221 cobertores.

A SAS conta com mais de 100 servidores que monitoram e percorrem todos os territórios com famílias cadastradas nos 21 CRAS, que vivem em situação de vulnerabilidade.

Todas as famílias atendidas durante as chuvas continuam recebendo acompanhamento periódico e orientações quanto ao Cadastro Único, que dá acesso aos benefícios do Governo Federal, caso o perfil da família atenda aos requisitos.