Fruto de projeto de leitura, sarau de escola da Reme tem música, poesia e sensibilidade

WhatsApp Image 2018-07-12 at 16.47.10

Campo Grande, 13/07/2018 às 15:05

Tudo começou em abril, quando a professora de Língua Portuguesa, Andréa Bacha, que trabalha com as turmas do 6º ao 9º ano da escola municipal Etalívio Pereira Martins, no bairro Monte Castelo, teve a ideia de executar um projeto que despertasse nos alunos o interesse pela poesia. Com base em sua tese de mestrado sobre a poeticidade em textos de alunos do Ensino Fundamental, a professora fez uma relação de autores, como Manoel de Barros, Cecília Meirelles e Vinícius de Moraes e passou a trabalhar com os alunos através de atividades que incentivassem cada um a realizar suas próprias descobertas, elegendo seus autores preferidos.

WhatsApp Image 2018-07-12 at 16.52.08Mesmo sabendo da dificuldade de conciliar leitura, escrita e composição, já que  os alunos, em sua maioria, preferem atividades relacionadas ao universo virtual, a professora, com a ajuda da equipe que atua na biblioteca escolar incentivou a prática da leitura, motivando os alunos a descobrirem as obras e textos que mais lhes agradavam.

A partir daí, foram criados espaços na sala de aula onde cada aluno fazia a leitura de seu livro ou poesia preferida para os colegas, após pesquisa na biblioteca. Com o interesse aumentando, as professoras começaram a incentivar a produção própria de textos. Nas turmas de Andrea, o resultado, foi uma coletânea de 30 textos que ela pretende publicar em um livro.

Com a ajuda da equipe que atua na biblioteca da escola, o projeto foi ganhando corpo e envolveu também as professoras Priscila Oliveira, Rosimeire Ferrarezi, Sueli Macedo e Demerli Rabelo Peralta, que compraram a ideia de realizar um sarau literário no encerramento do projeto.

Foi o que aconteceu na quinta-feira (12), quando alunos do 5º ao 9º realizaram diversas apresentações que tiveram como pano de fundo, a poesia. Números musicais, teatro e leituras de autores renomados e,de textos dos próprios estudantes, deram o tom do evento, que reuniu 30 alunos nos dois períodos de sarau.

WhatsApp Image 2018-07-12 at 16.47.09Quem chegava para prestigiar, já entrava no clima, pois toda a decoração contava com elementos como instrumentos musicais e até um varal poético, onde textos foram expostos para o público ler enquanto aguardava as apresentações.

Revelações

Pela primeira vez participando de um sarau literário, a aluna Eduarda Vitória Castro de Assis, do 5º ano, conta o evento ajudou a revelar talentos. “Eu mesma tinha muita vergonha de me apresentar em público, mas vendo todo mundo ler os textos na sala, acabei me soltando e, como gosto de cantar, decidi fazer uma apresentação da música “A flor e o beija-flor”, porque é uma das minhas poesias preferidas”, destacou.

Já o aluno Samuel Correa Camargo, do 7º ano, optou por apresentar um poema de sua autoria. “Dia a dia” trata da rotina do aluno, desde a saída de casa, até as atividades que realiza na escola. Para ele, as aulas de poesia do projeto só serviram para reafirmar a paixão pelos livros que tem desde a infância e a certeza de que terá uma carreira relacionada às palavras.

“Minha mãe é compositora profissional e desde pequeno gosto de literatura”, disse.

E a sensibilidade dividiu espaço com a criatividade. Teve paródias, quadrinhas e até rap explorando o mundo dos jogos de videogame, tudo com base na literatura poética. O evento despertou mais a vontade de desvendar o universo da literatura, tanto que um novo sarau já está sendo programado para o segundo semestre.

Para a professora Andréa Bacha, o resultado foi positivo, já que muitos alunos que tinham resistência aos livros acabaram se deixando envolver pela magia das palavras. Além de promover a socialização do grupo, com os momentos de leitura compartilhada, o projeto apresentou, de forma descontraída, as características presentes nos textos poéticos e nas expressões artísticas.WhatsApp Image 2018-07-12 at 16.51.33

“Fiquei muito feliz. As aulas foram muito produtivas e o importante é que conseguimos despertar este interesse pela literatura e mostrar que ela pode conviver com as tecnologias modernas”, afirmou a professora.

A coordenadora das bibliotecas escolares, Rosilene de Melo, explica que os projetos literários desenvolvidos nas unidades da Reme, com o apoio dos profissionais que atuam nas bibliotecas das escolas, têm contribuindo e valorizado o trabalho pedagógico dos professores.

“Estamos sempre realizando formações e trabalhando no sentido de apoiar estes profissionais em suas atividades pedagógicas. Ajudamos a organizar os espaços, o acervo e contribuímos com ideias que atraiam os alunos para estes ambientes dentro das unidades. A motivação para a leitura tem que começar logo na entrada das bibliotecas”, destacou.

No total, o acervo das bibliotecas escolares da Reme somam pelo menos 300 mil livros.

Rede Municipal de Sites e Serviços On-line de Campo Grande MS

http://www.campogrande.ms.gov.br/