Fornecimento de medicamentos e materiais da saúde deve ser normalizado em 30 dias

Campo Grande, 24/01/2017 às 14:52

A secretaria adjunta de Saúde, Andressa De Lucca Bento, durante reunião com grupo de cadeirantes. (Foto: Assessoria Sesau)

A secretária adjunta de Saúde, Andressa De Lucca Bento, durante reunião com grupo de cadeirantes. (Foto: Assessoria Sesau)

O fornecimento de parte dos medicamentos, insumos e materiais que estão em falta na rede municipal de Saúde de Campo Grande deve ser regularizado nos próximos 30 dias. O prognóstico foi feito nesta terça-feira (24) pela secretária adjunta de Saúde, Andressa De Lucca Bento.

Durante a manhã, a secretária adjunta recebeu um grupo de cadeirantes que foi até a Secretaria Municipal de Saúde reivindicar o repasse de medicamentos e materiais usados no dia a dia, como sonda uretrais, coletor de urina descartável, dispositivo para incontinência urinária, geleia de lidocaína, gaze, luva para procedimento e soro fisiológico que estariam em falta nas unidades de Saúde há pelo menos seis meses.

“Temos trabalhado incansavelmente para resolver este e outros problemas encontrados na Saúde do nosso Município. Uma das primeiras coisas que fizemos foi providenciar a reposição destes materiais, mas pra isso é preciso considerar alguns trâmites burocráticos. A nossa intenção é resolver tudo o mais rápido possível para dar a população o atendimento e a Saúde que ela merece”, reforçou Andressa.

A previsão é de que o município consiga reestabelecer o fornecimento de parte dos 320 itens que estão em falta na rede municipal de Saúde em 30 dias.

Planejamento

Durante vistoria feita no Centro Regional de Saúde (CRS), do bairro Tiradentes, no dia 4 de janeiro, o prefeito Marquinhos Trad anunciou que o Município iria se planejar para fazer a compra semestral de medicamento para evitar falta nos postos de saúde, a exemplo do que foi constatado na ocasião.