Encerramento de atividades reúne crianças de unidades de acolhimento da SAS em clube da Capital

Campo Grande, 08/12/2021 às 18:31

Crianças e adolescentes acolhidos nas cinco Unidades de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes (UAICAs) da Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS) tiveram uma quarta-feira (08) repleta de atividades recreativas, que marcaram o encerramento das ações e projetos desenvolvidos nas unidades durante o ano.

O evento aconteceu no Eco Park Clube e reuniu 65 crianças e adolescentes entre zero a 18 anos e contou com a presença da vice-prefeita Adriane Lopes e do secretário municipal de Assistência Social, José Mário Antunes, da superintendente de Proteção Especial da SAS, Tereza Cristina, além dos profissionais que atuam nas UAICAs e integrantes do projeto Família Acolhedora, que no momento conta com nove famílias participantes.

“É uma tarde de gratidão a todos os profissionais e equipes porque é um trabalho que exige muita dedicação, mas vocês foram agraciados com o dom de servir e têm um olhar especial, diferenciado.  Também trago um abraço do nosso prefeito Marquinhos Trad. Nós agradecemos aos empresários e parceiros que ajudaram a fazer esse dia especial”, ressaltou a vice-prefeita Adriane Lopes.

O secretário municipal de Assistência Social, José Mário Antunes, também agradeceu a parceria da equipe do Eco Park e destacou a participação das famílias acolhedoras. “Fico muito feliz em ver nossas crianças acolhidas com tanto amor. Obrigado a todos os parceiros que são muito especiais para nós, que ajudam a fortalecer nossas ações. Sou muito grato também ao nosso prefeito que nos dá liberdade e confia em nosso trabalho”, pontuou.

“Este foi um dos anos mais desafiadores que tivemos devido à pandemia, mas é importante encontrar uma maneira de levar alegria para essas crianças, promovendo uma interação entre elas”, destacou a superintendente Tereza Cristina.

Para o diretor-presidente do Eco Park, Silas Ávila, a confraternização desta quarta-feira vai se transformar em memórias afetivas. “É muito importante para essas crianças terem lembranças de bons momentos como este para contar no futuro e nossa equipe tem muito prazer em fazer parte dessa parceria”, disse.

Trabalho e projetos

O serviço ofertado pelas cinco unidades é o de acolhimento provisório para crianças e adolescentes afastados do convívio familiar por meio de medida protetiva de abrigo em função de abandono ou quando as famílias ou responsáveis encontrem-se temporariamente impossibilitados de cumprir sua função de cuidado e proteção, até que seja viabilizado o retorno ao convívio familiar ou encaminhamento para família substituta.

Nas unidades, as crianças e adolescentes são acompanhados por profissionais que trabalham para garantir a proteção integral, visando o desenvolvimento de relações mais próximas do ambiente familiar e atendendo as necessidades e direitos dos usuários. As unidades disponibilizam um espaço acolhedor, com estrutura física e recursos materiais que contribuem com o desenvolvimento pedagógico e social dos acolhidos.

Mesmo com as restrições impostas pela pandemia, até o final do primeiro semestre, profissionais e parceiros desenvolveram diversas atividades socioeducativas com as crianças e adolescentes, como o projeto de musicalização infantil, “Acredita II”, que atende crianças e adolescentes de 0 a 16 anos, realizado pela Associação Lar do Pequeno Assis, polo de atuação da Pastoral do Menor, sendo estruturado em práticas artísticas e culturais e tem como proposta, disponibilizar o acesso da arte e cultura às crianças e adolescentes em situação de risco e vulnerabilidade social.

Também foi realizada a iniciação do Projeto Leitura com as crianças e adolescentes, parceria com o Projeto de Extensão da UCDB para implantação de hortas nas unidades, além de festas alusivas ao Dia das Crianças promovidas pelo Fundo de Apoio à Comunidade (FAC) e pelo Projeto Acredita II.

Para reforçar a interação social e a autoestima das crianças, foram realizados durante o ano passeios em parques, Dia da Beleza, proporcionado pelas cuidadoras e parceiros da comunidade, incluindo  atividades esportivas, onde as crianças tiveram a oportunidade de participar de  aulas de caratê, jiu-jitsu e natação.