Ações desenvolvidas em Campo Grande reforçam compromisso com desenvolvimento sustentável

Campo Grande, 05/06/2021 às 07:49

De 5 a 9 de junho celebramos a Semana Meio Ambiente e a população campo-grandense pode se orgulhar pela cidade ser referência mundial em relação à preservação da sua arborização urbana. Isso se deve a uma gestão municipal comprometida na promoção de programas que objetivam a preservação dos nossos mananciais de abastecimento de água, o monitoramento quanto à qualidade da água dos córregos urbanos, além das legislações que instituem e orientam o correto acondicionamento, transporte, descarte dos resíduos e campanhas de educação ambiental.

Neste ano, dentre as ações desenvolvidas, está sendo realizada a 3ª Edição do Drive Thru da Reciclagem – Educação e Sustentabilidade, entre os dias 3 e 5, das 9h às 18h, nos altos da Afonso Pena. Coletores estão distribuídos para receber o descarte dos resíduos como papel, papelão, latinha de alumínio, vidro, sucata de ferro, óleo de cozinha usado, tecido, eletrônico, lâmpada, pilha e bateria. E quem participa recebe sementes de árvores de espécies frutíferas.

O prefeito Marquinhos Trad, durante a abertura do 3º Drive Thru da Reciclagem, destacou a importância de cada cidadão em contribuir para a preservação do meio ambiente “Ninguém é dono dessa cidade, a cidade é composta por todos que aqui residem e devem ajudar, somar e preservar. Precisamos ter o hábito educacional e deixar esse legado para os nossos filhos, nossos netos. Por isso a Prefeitura atua voltada no desenvolvimento sustentável para a qualidade de vida de toda a população”.

Destacando a conscientização ambiental e atitudes práticas, o secretário municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana, Luis Eduardo Costa, ressaltou a necessidade de estabelecer parcerias e contar com a participação de cada cidadão. “A realização de eventos dessa natureza são um momento, uma oportunidade, primeiramente para educar, para prestarmos atenção no que estamos fazendo hoje. Em relação aos resíduos observamos que tudo o que nós descartamos pode ter a possibilidade de retornar para a sociedade, mas é preciso ter o apoio da população. Campo Grande dispõe de uma política voltada à sustentabilidade, através de legislações, fiscalizações, organização dessa cadeia que trata dos recicláveis. Todos precisam ter esse olhar, agora é o momento dessa conscientização e adesão. Conheçam o trabalho desenvolvido na nossa cidade e apoiem as iniciativas”.

Ana Cristina Franzoloso, gestora do Drive Thru da Reciclagem em Campo Grande e Embaixadora MS do Instituto Lixo Zero no Brasil, reafirmou a importância da responsabilidade de todo cidadão. “Nós acreditamos na responsabilidade compartilhada pela iniciativa privada, gestão pública e a sociedade, para que a nossa cidade e planeta sejam cada vez melhor. E acreditamos que com essa união tudo irá melhorar. Precisamos falar de água, do descarte correto pois assim começa a se pensar numa responsabilidade com resultado.

Ações voltadas à preservação ambiental

A administração municipal atua voltada na questão de organizar, gerenciar e fiscalizar a geração de resíduos, em especial os resíduos volumosos da construção civil, onde já obteve avanços significativos, sendo hoje possível realizar o gerenciamento desses resíduos com melhor precisão de dados.

Com a implantação do software Coletas Online foi possível georrefereciar o resíduo da construção civil e tornar suas coordenadas conhecidas à fiscalização municipal. Com fiscalizações 100% online feitas via aplicativo pelos smartphones. De janeiro de 2019 a maio de 2021 foram descartadas corretamente 304.736 toneladas de resíduos dos grandes geradores, uma média de 11.286 toneladas mensais de resíduos destinados corretamente.

Também foi informatizado o cadastramento e emissão do Controle de Transporte de Resíduos por meio Eletrônico (E-CTR), onde o documento passou a ser expedido em formato eletrônico e exigido dos operadores que exploram a coleta e o transporte de resíduos da construção civil, com a finalidade de comprovar a correta destinação deste material e visando o controle dos Resíduos da Construção Civil (RCC).

A emissão do CTR no formato eletrônico teve início em 2019. Entre janeiro de 2019 e abril de 2021 foram emitidos 267.472 E-CTRs, uma média de 9.906 documentos emitidos/mês durante os meses de funcionalidade do sistema.

Outra frente de trabalho é o monitoramento e preservação das nossas águas, o recurso natural indispensável à vida. Oportunizando a continuidade de programas como o “Manancial Vivo” que visa a restauração do potencial hídrico e do controle da poluição no meio rural, prevendo pagamentos aos produtores rurais que, por meio de práticas e manejos conservacionistas que contribuam para o aumento da infiltração de água e incremento de biodiversidade na Área de Proteção Permanente (APP) localizada em sua propriedade. Os pagamentos são baseados na realização e manutenção das práticas recomendadas e monitoradas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur), resultando em aumento da qualidade e quantidade de água para o abastecimento público. Em 2021, está previsto o montante de R$1.653.357,00, dos quais R$ 209.505,88 já foram pagos.

Outro programa consolidado pela Prefeitura é o “Córrego Limpo” que visa o monitoramento da qualidade das águas superficiais do município. Atualmente a rede de monitoramento municipal contempla 83 pontos de amostragem, distribuídos em nove microbacias de Campo Grande.

Paralelamente ao monitoramento da água são realizadas ações de fiscalização com o objetivo de identificar as poluições diretas e indiretas dos córregos e rio e assim traçar ações preventivas e corretivas para a qualidade da água dos cursos hídricos do município. Além de conscientizar em relação ao lançamento de esgoto irregular.

As coletas de amostras d’água são realizadas trimestralmente respeitando-se a sazonalidade do ano (época seca e chuvosa), para avaliar a tendência e a adequabilidade do uso da água. Em uma comparação entre 49 pontos de monitoramento, ou seja, os mesmos pontos que foram coletados no período do 1º Trimestre e 3º Trimestre dos anos de 2010 e 2020, observou-se que em 2010 o IQA apresentou abrangência na qualidade boa, tanto para o 1º como para o 3º Trimestres.

Em 2020 permaneceu-se a abrangência do IQA na qualidade boa e houve a diminuição dos índices de qualidade regular. Verificando, portanto, melhorias na qualidade dos recursos hídricos de Campo Grande. Sendo de fundamental importância que as ações de monitoramento da qualidade das águas superficiais sejam constantes e, assim, permitindo aos gestores a possibilidade de trabalhar para garantir um meio ambiente ecologicamente equilibrado para as presentes e futuras gerações.

 

Outra frente de trabalho é o cercamento e a sinalização das Áreas de Preservação Permanente (APP) dos córregos e nascentes na área urbana. Importante ação para a preservação da condição natural, na proteção dos corpos d’água, combatem a poluição e assoreamento dos córregos, auxilia na manutenção da permeabilidade do solo e do regime hídrico, prevenindo contra inundações e enxurradas. Já foram realizadas intervenções na APP do córrego Bandeira que recebeu cercamento e placas de sinalização, finalizados o cercamento da APP da nascente do Córrego Coqueiro, região do Taquaral Bosque e de parte da APP do Córrego Lagoa, região da Vila Anahy. A APP localizada no Córrego Imbirussu, na região do Parque do Laranjaias também recebeu cercamento para proteção da nascente.

E neste mês em que se celebra o Dia Mundial do Meio Ambiente, é necessário chamar a atenção ao tema e destacar a importância da preservação dos recursos naturais.

Tree Cities of the World

Em 2021, pelo segundo ano consecutivo, Campo Grande recebe o reconhecimento mundial pela preservação das suas florestas urbanas. A Arbor Day Foundation reconheceu a Capital como uma das “Tree Cities of the World” – Cidades Árvore do Mundo. O título representa o programa fundado pela Arbor Day Foundation e pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) que reconhece cidades ao redor do mundo que se comprometem a cultivar e manter suas florestas urbanas. Desta forma, a Campo Grande compõe uma seleta rede de cidades com conceitos que reconhecem a importância das árvores na construção de cidades saudáveis. Para o título a cidade comprometeu-se a cumprir padrões do programa que mostram sua dedicação e determinação em plantar e conservar árvores para um futuro mais verde. No total, 120 cidades de 63 países foram reconhecidas nesta edição, compondo um grupo internacional que lidera o caminho da silvicultura urbana e comunitária.

O plantio de árvores em uma área urbana traz uma infinidade de benefícios, podendo ajudar a reduzir os custos de energia, gerenciamento de águas pluviais e controle da erosão. Desta forma, as cidades reconhecidas compõem uma rede de líderes que visam criar mais espaços verdes em áreas urbanas, destacando as cidades que o fazem bem. Plantar mais árvores é a maneira mais rápida e fácil de investir em um futuro melhor.

Centros de Educação Ambiental

A capital dispõe à sua população Centros de Educação Ambiental (CEA) locais dotados de toda uma estrutura física que compreende auditório, espaço multiuso, trilhas e espaços de convivência, os locais são um convite perfeito à reflexão e à vivência de práticas sustentáveis. No entanto, devido a Pandemia, os locais encontram-se indisponíveis para o agendamento de visitas.

Em Campo Grande temos os CEAs administrados pela Semadur, o Centro de Educação Ambiental Leonor Reginato Santini – CEA Polonês, o Centro de Educação Ambiental Odilza Fernandes Bittar – CEA Imbirussu e o Parque Ecológico Anhanduí –CEA Anhanduí. Além do CEA Florestinha que é administrado em parceria com a PMA.