CZZ realiza vacinação contra a raiva em cães e gatos durante o fim de semana em Anhanduí

Campo Grande, 08/01/2021 às 14:27

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) irá realizar neste fim de semana a vacinação de cães e gatos contra a raiva no Distrito de Anhanduí, localizado a 60 quilômetros de Campo Grande. Oito equipes estarão, das 08h às 15h, percorrendo casa a casa, imunizando os animais contra a doença.

A campanha de vacinação antirrábica teve início em Campo Grande em agosto do ano passado e até o dia 31 de dezembro, 90 mil cães e 32 mil felinos foram vacinados,o que corresponde cerca de 80% da meta, estimada em 160 mil animais.  O trabalho segue pelos próximos meses atendendo bairros da região Bandeira, Prosa e Central, além da zona rural do município.

Durante as abordagens, é imprescindível a colaboração de todos os tutores de cães e gatos, recebendo os agentes do CCZ que estarão executando suas atividades desta forma, também cuidando da saúde da população humana.

Os servidores estarão uniformizados e portando equipamentos adicionais de proteção individual (EPIs), seguindo os protocolos de biossegurança por ocasião da pandemia do coronavírus (Covid-19). Todos os servidores foram testados para a doença na semana passada.

Caso o tutor não esteja em casa no momento em que a equipe estiver no bairro, será deixado um comunicado para que o tutor leve o animal ao CCZ para a aplicação da  vacina antirrábica. O horário de funcionamento do órgão para vacinação é de segunda a sexta-feira, de 7 às 21 horas. Aos sábados, domingos e feriados, de 6 às 22 horas.

O último caso de raiva humana no município foi registrado em 1968. Já em cães e gatos, o último caso ocorreu em 2001, quando o cão adquiriu a doença por meio do contato com um morcego contaminado com o vírus. Porém, o vírus segue em circulação, principalmente em morcegos contaminados que constantemente são capturados e encaminhados ao CCZ.  Para manter a situação sob controle é preciso que pelo menos 80% dos cães e gatos sejam vacinados.

Doença

A Raiva é transmitida ao homem pela saliva de animais infectados, principalmente por meio da mordedura, podendo ser transmitida também pela arranhadura e/ou lambedura desses animais. É uma doença infecciosa viral aguda que acomete mamíferos, inclusive o homem, e caracteriza-se como uma encefalite progressiva e aguda levando à morte em quase a totalidade dos infectados sendo de grande relevância para a saúde pública.

As campanhas de vacinação de cães e gatos associadas às demais medidas de controle, como a profilaxia antirrábica humana para pessoas expostas ao risco de contrair raiva (vacinas pré-exposição e pós exposição), resultaram em significativa redução de casos da doença em seres humanos. Como medidas de prevenção, a orientação é que morcegos ou outros animais silvestres jamais sejam tocados, principalmente quando estiverem caídos no chão ou encontrados em situações não habituais.

Caso algum morcego seja encontrado vivo ou morto em situação anormal (por exemplo, caído no chão ou pendurado em janelas, cortinas, em cima da cama entre outros locais ou comportamentos não habituais) é necessário solicitar seu recolhimento CCZ por meio do número: (67) 3313-5000.

Se for possível capturar o animal até a chegada da equipe do CCZ, o recolhimento deve ser feito utilizando panos, caixas de papel, baldes ou mantendo-o preso em ambiente fechado.  O órgão orienta ao morador nunca tocar nos morcegos ou deixar crianças e animais domésticos terem contato.