Casa da Mulher leva serviços da Rede de Proteção para o Bairro Moreninha II

IMG_9861 (Copy) Foto: Denilson Secreta

Campo Grande, 22/11/2019 às 16:50

Na perspectiva de marcar o período dos ‘16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher’ e, pensando em facilitar cada vez mais o acesso às mulheres que procuram os serviços da Casa da Mulher Brasileira, a Prefeitura de Campo Grande, por meio da Subsecretaria de Políticas para a IMG_9959 (Copy)Mulher e as entidades que formam a rede de proteção levaram nesta sexta-feira (22) os atendimentos para o Bairro Moreninha II, com uma ação itinerante de divulgação, orientação e encaminhamentos.

Além da equipe da Prefeitura, a ação, que aconteceu na sede do Juizado Especial, contou com atendimento do Apoio Psicossocial, Delegacia Especializada, Juizado Especializado em Violência Doméstica e Familiar contra as Mulheres, Promotoria Especializada, Defensoria Pública, Patrulha Maria da Penha.

A titular da Semu, Carla Stephanini destacou o empenho do Município em difundir o atendimento da Casa da Mulher, a fim de fazer com que as comunidades estejam bem informadas e possam, assim, prestar ajuda IMG_9807 (Copy)e auxílio para encorajar as mulheres a buscarem os serviços da Rede de Proteção. “Neste sentido contribuímos para que essas mulheres se sintam seguras e acolhidas para tomarem uma atitude e denunciam, rompendo assim o ciclo da violência. A intenção é ampliar esse trabalho levando atendimento para outras regiões da cidade”.

A Casa da Mulher Brasileira representa um marco na forma de lidar com a violência doméstica e familiar contra mulheres, uma vez que articula e integra todos os serviços essenciais, visando o atendimento especializado, integral e humanizado às mulheres.

É importante ressaltar que a CMB também atende mulheres que sofreram outras formas de violência de gênero, além da violência doméstica e familiar, como vítimas de importunação sexual, estupro, assédio sexual, cárcere privado, violência institucional, dentre outras, mas, por constatação, o maior número de casos se refere à violência doméstica.

De acordo com a coordenadora da Casa da Mulher Brasileira, Tai Loschi, somente no mês de outubro deste ano 1.467 mulheres procuraram a instituição. Desde que o local foi aberto, em fevereiro de 2015, já foram atendidas 65,3 mil pessoas.

IMG_9869 (Copy)A juíza é titular da 3ª Vara da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, Jacqueline Machado ponderou que apesar do número expressivo de atendimentos na Casa da Mulher Brasileira, não significa que o índice de violência aumentou, mas sim que as mulheres passaram a denunciar os agressores.

“Pesquisa da ONU mostra que metade das mulheres vítimas de violência doméstica não denuncia os agressores. A partir do momento que você encontra uma estrutura adequada, organizada e humanizada, com todos os serviços concentrados no mesmo local, a mulher tem segurança para fazer a denúncia e isso reflete nos números que nos são apresentados. Aqui em Campo Grande, as mulheres entenderam que elas têm toda uma rede e que tanto elas quanto seus filhos podem sair desse ciclo de violência em segurança”, disse a juíza.

Campanha

A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Subsecretaria de Políticas para a Mulher, deu início no dia 18 de novembro às atividades da agenda da Campanha Internacional “16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres”, que tem por objetivo a conscientização e a mobilização da sociedade para que denuncie todos os tipos de violência praticados contra meninas e mulheres no Brasil e no mundo.

A subsecretaria promove durante esses dias diversas atividades em parceria com a 72ª Promotoria,  Defensoria Pública, 3ª Vara de Violência Doméstica e a Delegacia Especializada. As atividades incluem capacitação de profissionais da segurança pública, atendimento itinerante e debate com a comunidade. A proposta é chamar a atenção da sociedade para os fatores que naturalizaram a agressão das mulheres, em especial, por companheiros, pais e parentes próximos.

Serviço da Casa da Mulher Brasileira
Endereço: Rua Brasília, Lote A, Quadra 2 s/n – Jardim Imá, Campo Grande – MS, 79102-050
Horário de Atendimento: 24 horas
Telefone para contato: (67) 2020-1300
Linhas de ônibus: 414 (Nova Campo Grande), 409 (Vila Popular), 415 (Jardim Imá), 413 (Núcleo Industrial), 421 (Jardim Carioca)

Rede Municipal de Sites e Serviços On-line de Campo Grande MS

http://www.campogrande.ms.gov.br/