Campo Grande apoia e incentiva práticas sustentáveis em diferentes cadeias produtivas

Campo Grande, 14/09/2021 às 11:14

Na semana passada a Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur), avançou em frentes de trabalho voltadas à cadeia dos resíduos sólidos que resultam em uma cidade que impulsiona o desenvolvimento sustentável, pautada em uma legislação moderna, que disciplina as diretrizes relativas ao gerenciamento de resíduos sólidos.

Desta forma, os grandes geradores de resíduos, bem como a indústria produtora, têm suas responsabilidades a partir dos seus produtos consumidos e os resíduos gerados. E a contar de um esforço conjunto entre o poder público municipal, Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul (MPE/MS), Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul (TCE/MS) e o setor privado foi possível viabilizar a reciclagem do vidro em Campo Grande. E assim, o vidro será recepcionado, triado e triturado para posterior envio às indústrias.

O prefeito Marquinhos Trad apontou os esforços dos parceiros envolvidos para a concretização desse processo “São várias vertentes envolvidas na cadeia dos resíduos, o lado social com a geração de emprego e renda, a parte ambiental com a adequação das cidades de forma sustentável e legal dentro do meio ambiente. Campo Grande está bem avançada na questão da coleta dos grandes geradores”.

E o secretário municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana, Luís Eduardo Costa, destacou os avanços da legislação municipal que prevê os regramentos necessários para o setor “Nossa legislação voltada aos grandes geradores incentiva importantes mitigações e também incentiva negócios voltados à cadeia dos resíduos, a questão do vidro, por exemplo, é uma demanda complexa e o poder público municipal através da lei procura organizar o setor para o correto destino e de forma sustentável aos vidros”.

Outro grande avanço é a logística reversa dos resíduos da construção civil em Campo Grande, onde a Semadur participará do projeto interinstitucional de boas práticas denominado Reccicla, lançado pelo MPMS, por meio da 34ª Promotoria de Justiça do Meio Ambiente. O projeto será conduzido em parceria com o TCE/MS e a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), que tem como objetivo fomentar a reciclagem e o uso de agregados reciclados (provenientes da reciclagem de resíduos da construção civil) em Campo Grande. Para o financiamento da iniciativa, serão destinados R$ 400 mil de recursos obtidos por meio de acordos judiciais, Termos de Ajustamento de Conduta (TACs), entre outros, firmados pelo Ministério Público Estadual, onde a destinação deverá ser aprovada pelo MPMS, Semadur e o Conselho Municipal de Meio Ambiente.

Também serão beneficiados com os recursos os projetos de recuperação, recomposição, preservação e reparação de áreas de preservação permanente da Capital e de prevenção de danos a essas áreas, desde que estejam situadas em áreas públicas de Campo Grande, inclusive nascentes detectadas em projetos desenvolvidos pelo MPMS.

E, ainda, voltado a projeto sustentável e reconhecido internacionalmente, Campo Grande obteve a certificação do Crematório construído como sendo o único complexo Leadership in Energy and Environmental Design (LEED) Platinum no mundo neste seguimento, que em português significa Liderança em Energia e Design Ambiental. O LEED é uma certificação concedida apenas a empresas com alto rigor em suas práticas sustentáveis.

Os projetos que visam a certificação LEED são analisados em oito dimensões, sendo elas: localização e transporte, espaço sustentável, eficiência do uso da água, energia e atmosfera, materiais e recursos, qualidade ambiental interna, inovação e processos e créditos de prioridade regional.

“É um sistema mais reconhecido internacionalmente, está em mais de 120 países e atua de forma a ter critérios rigorosos técnicos, práticas sustentáveis como um todo e para abordagens sustentáveis dentro da construção civil", explicou Ricciano Liberalli, responsável pela certificação do Crematório estabelecido em Campo Grande.

Cabe destacar que apenas 3% dos empreendimentos certificados no mundo todo chegam a esse nível. Essa é uma das formas que a gestão municipal procura atuar, por meio do Programa Reviva Mais Campo Grade,  voltada ao desenvolvimento sustentável através de um modelo econômico, político, social, cultural e ambiental equilibrado, que satisfaça as necessidades das gerações atuais, sem comprometer a capacidade das gerações futuras.