Ação de prevenção contra violação de direitos alcança mais de mil crianças e adolescentes

Campo Grande, 11/03/2019 às 17:49

Com o tema “Trabalho Infantil Não é Folia, Criança e Adolescente Com Álcool na Mão Não e Alegria, Exploração Sexual Não É Legal, Pule Fora Dessa E Curta O Carnaval”, a Prefeitura Municipal de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS), realizou no período que antecedeu o carnaval e nos dias de festa, a campanha de sensibilização e mobilização na prevenção ao abuso e exploração sexual infantil, contra o trabalho infantil e contra a venda e consumo de álcool e outras drogas.

No período de 25 de fevereiro a 1º de março, 1.136 crianças e adolescentes participaram das rodas de conversa, dinâmicas e receberam material informativo alusivo à campanha, durante as ações realizadas nos Centros de Referencia da Assistência Social – CRAS, Organizações da Sociedade Civil e escolas.

A programação contou com um ciclo de informação com diversão, nos dias festivos que aconteceram na Rua Calógeras e na Praça do Papa, entre 2 a 5 de março, além do evento do Enterro dos Ossos, no dia 8 de março de 2019, quando a equipe da SAS, por meio das equipes do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – AEPETI e Serviço Especializado em Abordagem Social – SEAS, WhatsApp Image 2019-03-11 at 18.47.00realizaram a sensibilização em caráter preventivo e educativo com relação aos direitos da criança e adolescente.

“O trabalho realizado pelas equipes teve como foco a orientação à população com relação ao trabalho infantil, exploração sexual e uso de substâncias psicoativas. Durante as festividades foram distribuídos leques com o número do Disque 100 (disque denúncia) e frases alusivas à campanha de prevenção e bandanas. Foram realizadas abordagens de conscientização envolvendo as famílias que estavam acompanhadas de crianças nas barracas de vendas, a fim de informá-las sobre os prejuízos do trabalho infantil aos pequenos”, explicou o secretário municipal de Assistência Social, José Mário Antunes.

Durante todos os dias foram realizadas orientações, e não foram encontrados casos de violação de direito. “Como saldo positivo fica que ao trabalharmos a prevenção na rede socioassistencial, como aconteceu também no ano de 2018, conseguimos promover a mensagem sobre os temas abordados, com maior número de famílias, já que ao levar a informação à criança e ao adolescente, o mesmo realiza o papel de multiplicador para os pais, amigos e vizinhos, levando o conhecimento da lei de garantia de direito da criança e adolescente – ECA”, ressalta a coordenadora das Ações Estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – AEPETI, Jackeline de Paula.

As ações foram realizadas nas seguintes unidades: Sociedade Assistencial Meimei, Cidade dos Meninos, CRAS Estrela Dalva, Centro de Convivência Itamaraca, Centro de Integração da Criança e Adolescente, CRAS Lili Fernandes(Moema), CRAS Tiradentes, Associação Lar do Pequeno Assis, Salesianos Ampare, Associação Jardim das Perdizes, Projeto Asas do Futuro, CRAS Moreninha, CRAS CANGURU, Escola Municipal Arlene Marques de Almeida, CRAS Los Angeles, CRAS Aero Rancho, CRAS São Conrado e Escola Estadual Elia Franca Cardoso.