GUARDA METROPOLITANA ATENDE DENÚNCIA DE MAUS TRATOS E AINDA RESGATA TAMANDUÁ EM CONDOMÍNIO

Na segunda-feira (15.11.21), feriado, a ocorrência foi de maus tratos de animais domésticos, no Bairro Centro Oeste. A guarnição da Patrulha Ambiental deslocou até o endereço e constatou os maus tratos, de fato o animal estava muito desnutrido e com alguns ferimentos (possivelmente com Leishmaniose). Em virtude de o DECAT estar fechado, não foi possível fazer os procedimentos. No dia seguinte a guarnição deu prosseguimento na ocorrência – Ao chegar no local o animal estava para fora do quintal. Vizinhos informaram a guarnição que o tutor do animal se mudou e deixou o animal no local. Contatamos com o proprietário do imóvel, e o mesmo informou o nome do seu ex-inquilino.

Sendo assim o animal foi recolhido ao CCZ e posteriormente a guarnição se encaminhou para Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e de Atendimento ao Turista – DECAT, para registrar B.O e o delegado tomar as providências cabíveis. O autor dos maus tratos foi qualificado no Art. 32 da Lei 9.605/98. [Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos: Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa].

A segunda ocorrência ocorreu na Vila Margarida, dia 16.11.21, às 22h40. A guarnição foi acionada pelo GCCO para a captura de um Tamanduá-Bandeira adulto que estava acuado dentro do Condomínio Residencial Aruba. A solicitante nos informou que o animal possivelmente teria entrado no condomínio na madrugada do dia 16 – E talvez tenha se escondido até o final da tarde. Informou também que uma equipe da PMA tentou resgatar o animal, porém o mesmo atacou a sargento e teve que ser socorrido às pressas até uma unidade de saúde. A Patrulha Ambiental fez a captura do Tamanduá e o conduzimos até o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres – CRAS.

Fonte e fotos: SESDES e GCM