VIII Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental

Banner VIII CONGEA1

O VIII ConGea será realizado em Campo Grande, entre os dias 27 e 30 de novembro de 2017

Com o tema central “Gestão Ambiental Integração Cerrado Pantanal”, o congresso tem como objetivo propiciar para comunidade científica na área de meio ambiente, recursos hídricos e saneamento a interação, a troca de experiências e divulgação de ciência e tecnologia.

Tendo como público-alvo professores, pesquisadores, engenheiros, biólogos, alunos e profissionais de meio ambiente.

O evento será realizado na Universidade Católica Dom Bosco, Anfiteatro Dom Bosco – Bloco A e Anfiteatro Dom Aquino – Bloco B.

Programação

Dia 27
Local: Auditório Bloco C da UCDB – Campo Grande
Horário: 19h
– Abertura
– Composição da mesa e pronunciamento de autoridades
– Conferência de Abertura: “Gestão Ambiental no Mato Grosso do Sul” – Ricardo Eboli Gonçalves Ferreira, Diretor-Presidente do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul)
– Encerramento

PALESTRAS

Dia 28

14h às 15h palestra “Uso das Geotecnologias no Contexto de Saúde Única”, com Samanta Cristina das Chagas Xavier Azeredo, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)

15h às 16h palestra “Paisagens Sustentáveis. Abordagens de Gestão Ambiental e o Zoneamento Ecológico”, com José Salatiel Pires, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

16h às 17h palestra “Uso e Ocupação da Bacia do Alto Paraguai”, com Cássio Bernardino, da WWF-Brasil

17h às 18h palestra “Sistema de Gestão Ambiental da Ipiranga Distribuidora”, com Renato da Silveira Benjamim, da Ipiranga Produtos de Petróleo

Dia 29

14h às 15h palestra “Gestão Ambiental em Instituições de Ensino e Pesquisa”, com Francy Maycon Rodrigues de Oliveira, da UCDB

15h às 16h palestra “Pagamento por Serviços Ambientais – Estudo de caso na Bacia do Guariroba”, com Flávia Accetturi Szukala Araujo, da WWF-Brasil

16h às 17h palestra “Ecoturismo e Serviços Ecossistêmicos: Ferramentas para Gestão Sustentável”, com José Sabino, da Uniderp

17h às 18h palestra “Gestão de Resíduos Sólidos em Campo Grande”, com Bruno Velloso, da Solurb Soluções Ambientais

Dia 30

14h às 15h palestra “Licenciamento Ambiental para Obras de Saneamento”, com Fernando Henrique Garayo Junior, da Águas Guariroba

15h às 16h palestra “Controle Biológico como Alternativa Sustentável para o Controle de Pragas”, com Cirano Ulhoa, da Universidade Federal de Goiás (UFG)

16h às 17h palestra “Desafios da Gestão Ambiental no Pantanal e Cerrado”, com José Milton Longo, do Conselho Regional de Biologia (CRBio-01)

17h às 18h palestra “Pecuária Orgânica e Sustentável no Pantanal”, com Leonardo Leite de Barros, da Associação Brasileira de Produtores Orgânicos

MESAS-REDONDAS

Dia 28
14h às 16h mesa-redonda “Licenciamento Ambiental”
Palestrantes:
1 – “Licenciamento Ambiental Federal” – Reginaldo Yamaciro Gomes, Ibama
2 – “Licenciamento Ambiental no Estado do Mato Grosso do Sul” – Pedro Mendes Neto, Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul)
3 – “Licenciamento Municipal” – Ivan Pedro Martins, Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur)
Moderador: Mariana Massud, Planurb

16h às 18h mesa-redonda “Planejamento Territorial”
Palestrantes:
1 – “Áreas Prioritárias para a conservação e uso sustentável da Biodiversidade Brasileira” – Luciana Hemétrio Valadares, Secretaria de Biodiversidade – Ministério do Meio Ambiente (MMA)
2 – “Zoneamento Ecológico-Econômico como Instrumento para o Planejamento Territorial” – Flávio Ayres, Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano (Planurb)
3 – “Landscape aproach – Uma abordagem sistêmica para conservação” – Júlio Cesar Sampaio, WWF-Brasil

Dia 29
14h às 16h mesa-redonda “Agronegócio e Meio Ambiente”
Palestrantes:
1 – “Manejo integrado dos solos e reflexos sobre o agronegócio” – Claudia Bacchi, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS)
2 –”Ações do IAGRO no atendimento de denúncias de irregularidades envolvendo agrotóxicos” – Marina Bacha, Agência estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal do Mato Grosso do Sul (Iagro)
3 – “Agricultura e meio ambiente: uma comparação entre agricultura patronal e familiar” – Olivier François Vilpoux, UCDB
Moderador: Denilson de Oliveira Guilherme, UCDB

16h às 18h mesa-redonda “Gestão de Bacias Transfronteiriças”
Palestrantes:
1 – “Ações da ANA – Agência Nacional de Águas na Gestão de Bacias Transfronteiriças” – Diana Leite Cavalcanti, Agência Nacional de Águas (ANA)
2 – “Gestão Estadual de Recursos Hídricos e o Instrumento de Outorga” – Elisabeth Arndt, Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul)
3 – “Plano de Recursos Hídricos da Região Hidrográfica do Paraguai” – Luiz Henrique Noquelli, Secretaria Meio Ambiente do Mato Grosso (Sema-MT)

Dia 30
14h às 16h mesa-redonda “Restauração Ecológica”
Palestrantes:
1 – “Restauração ecológica no Cerrado/Pantanal: gargalos e soluções” – Letícia Couto Garcia Ribeiro, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS)
2 – “Fatores Limitantes para a Restauração Ecológica em Áreas de Pastagens” – Silvia Rahe Pereira, da Uniderp
3 – “Todas as Ciências para a Restauração do Cerrado” – Daniel Luis Mascia Vieira, Embrapa Recursos Genéticos e Tecnologia
Moderador: Flávia Accetturi Szukala Araujo, WWF-Brasil

16h às 18h mesa-redonda “Resíduos Sólidos / Logística Reversa”
Palestrantes:
1 – A confirmar – Liliane Candido Corrêa, Senai
2 – “Plano Estadual de Resíduos Sólidos” – Eliane Crisóstomo Dias Ribeiro de Barros, Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul)
3 – “Plano de Coleta Seletiva do Município de Campo Grande/MS” – Aurimar da Costa Filho, Planurb

VISITAS TÉCNICAS

Dia 29
9h às 12h visita ao Centro de Educação Ambiental Odilza Fernandes Bittar (CEA Imbirussú) da PM Campo Grande

O CEA Imbirussú, foi criado a partir da revitalização e adaptação do prédio onde funcionou uma Escola Municipal, adjacente à área do Horto Florestal. A área rica em vegetação, que abriga também um dos viveiros de produção de mudas para a arborização urbana de Campo Grande, tem como objetivo contribuir para a promoção e apoio ao processo de educação ambiental em Campo Grande. Às margens do Córrego Imbirussú, o CEA conta com uma estrutura física dotada de auditório, espaço multiuso, Horto Florestal, trilha ecológica, laboratório de ciências, observatório, biblioteca (sala verde), telecentro (inclusão digital), sala de arte (dança e práticas esportivas) e espaços de convivência. O local é um convite perfeito à reflexão e a vivência de práticas sustentáveis. Facebook: www.facebook.com/cea.imbirussu e blog: ceaimbirussu.blogspot.com.br

9h às 12h visita à Unidade de Conservação Córrego Guariroba

A bacia hidrográfica do córrego Guariroba está localizada a 33km da cidade de Campo Grande/MS, sendo responsável pelo abastecimento de água de aproximadamente metade da população campo-grandense. A bacia foi decretada município Área de Proteção Ambiental (APA), uma modalidade de Unidade de Conservação de Uso Sustentável do SNUC. Desde 2010 é desenvolvido na bacia o Programa Manancial Vivo, que segue as diretrizes e conceitos do Programa Produtor de Água, desenvolvido pela Agência Nacional de Água, sendo um programa voluntário de restauração do potencial hídrico e do controle da poluição difusa no meio rural. O Programa é gerido por diversos parceiros e prevê pagamentos por serviços ambientais (PSA) aos produtores rurais que, por meio de práticas e manejos conservacionistas e de melhoria da distribuição da cobertura florestal na paisagem, contribuam para o aumento da infiltração de água e para o abatimento efetivo da erosão, sedimentação e incremento de biodiversidade. Durante a visita, serão conhecidas as ações de gestão de bacia hidrográfica através da adequação ambiental das propriedades rurais no âmbito do Programa Manancial Vivo, visitando áreas com práticas de conservação de solo como terraços e barraginhas, adequações de estradas rurais e diferentes práticas de restauração ecológica de vegetação nativa.

Dia 30

9h às 12h visita ao Aterro Sanitário Dom Antônio Barbosa I e II e Usina de Triagem de Resíduos

Aterro Sanitário – Objetivo: Observar os serviços prestados á população e o processo de disposição final dos resíduos sólidos do município. Roteiro: visitar área de descarga dos caminhões; observação dos aspectos físicos, químicos e biológicos da produção e armazenagem de chorume; visitar área do antigo vazadouro existente; visitar as obras do PRAD (Plano de Recuperação de Área Degradada) do antigo vazadouro (lixão). Link: http://solurb.eco.br/obras/operacao-do-aterro-sanitario-dom-antonio-barbosa-ii/4/

Usina de Triagem de Resíduos Sólidos (UTR) – Objetivo: Conscientizar os visitantes para a importância da separação correta dos resíduos sólidos orgânicos e seletivos. Roteiro: visitar as estruturas da Usina; observar e compreender o processo de reciclagem, desde a entrada dos resíduos na usina até a destinação para o aterro sanitário ou comercialização. Link: http://solurb.eco.br/obras/conclusao-da-obra-civil-e-aparelhamento-de-unidade-de-triagem-de-residuos/2/

9h às 12h visita “ETE Imbirussú”

A ETE Imbirussú foi Inaugurada em 22 de março de 2013, sendo uma das mais modernas estações de tratamento de esgoto (ETEs) do Brasil e faz parte das ações do Programa Sanear Morena 2, utilizando o sistema compacto nos tanques de tratamento aeróbio. A ETE Imbirussú possui tecnologia inédita fornecida pela Xylem que utiliza o sistema biológico completo de ICEAS, da Sanitaire. Neste processo de tratamento, todos os processos de aeração, sedimentação e decantação acontecem no mesmo tanque, enquanto as ETEs convencionais realizam o processo em três tanques: clarificador primário, aeração/tratamento biológico e clarificador secundário. A visita técnica irá percorrer todo o processo de tratamento de esgoto da ETE Imbirussú, que é o único do modelo no Brasil.

 

O VIII ConGea tem o apoio

 Logos Semadur e Planurb

 

Rede Municipal de Sites e Serviços On-line de Campo Grande MS

http://www.campogrande.ms.gov.br/