Arborização Urbana – Plano Diretor

Plano Diretor de Arborização Urbana - 2010Campo Grande tinha a deficiência de um planejamento estruturado e feito com base em metodologia confiável de sua arborização. Ao longo dos últimos anos, uma série de problemas como o plantio de espécies em locais inadequados, o manejo impróprio e os conflitos deles decorrentes ocasionaram problemas para a população e para a administração pública.

Neste sentido surge o Plano Diretor de Arborização Urbana (PDAU) que tem por finalidade mostrar um diagnóstico da situação atual da arborização viária do município, munindo a Prefeitura Municipal de Campo Grande de diretrizes que possibilitem a gestão e o gerenciamento da arborização urbana.

No Primeiro Capítulo do documento é contextualizado o conhecimento sobre a arborização viária e sua problemática, e ainda são apresentados dados relevantes do município de Campo Grande. Já no Segundo Capítulo são apresentadas as metodologias utilizadas para o desenvolvimento das atividades de campo.

O Diagnóstico da arborização de Campo Grande encontra-se no Terceiro Capítulo, com a discussão dos dados coletados. O Quarto Capítulo apresenta algumas Recomendações e no Quinto Capítulo são listadas as Referências Bibliográficas utilizadas no presente trabalho.

Foi feito por meio de aerofotogrametria um processo de levantamento dos dados quali-quantitativos das árvores localizadas na área urbana do município. Os levantamentos de campo foram realizados entre 30 de outubro e 29 de dezembro de 2009, englobando as regiões urbanas: Centro, Segredo, Prosa, Bandeira, Imbirussu, Anhanduizinho e Lagoa, perfazendo 100% da área urbana da capital do estado de Mato Grosso do Sul.

O PDAU revelou um total de 153.122 árvores nas vias urbanas de Campo Grande. No setor do Aero Rancho é encontrado o maior número de árvores (5.024), seguido dos setores Moreninha, Centro-Oeste, Universitário e Nova Lima. Porém, quando considerada a área em Km2, o Núcleo Industrial é o maior setor da área urbana de Campo Grande, com 24,26 Km2. No Aero Rancho é encontrado também o maior número de habitantes/Km2 (33.804), seguido do Nova Lima (29.580), Santo Amaro (23.129) e Moreninha (22.339).

A melhor situação, considerando o número de árvores por habitante, foi registrada no setor Chácara dos Poderes, com 0,92 árvores/habitante. Já a situação mais crítica foi encontrada no setor Caiobá, que possui 0,10 árvores/habitante, com quase dez habitantes para cada árvore.

O plano traz ainda informações sobre a qualidade das espécies, a freqüência de espécies em relação ao porte e a posição em relação a presença de rede de transmissão de energia elétrica, a altura média da vegetação amostrada por espécie e por localização, a frequência de árvores com problemas fitossanitários, a caracterização e classificação dos problemas, entre outros.