ISRAEL – Ver para Crer & 68 Fatos Que Você Provavelmente Não Sabia Sobre Israel

Soldados operando Drone - Contato com tecnologia no serviço militar

Soldados operando Drone – Contato com tecnologia no serviço militar

Sua população é extremamente heterogênea e tem origem nas mais diferentes nacionalidades, que se juntaram pela religião. Apesar de terem o judaísmo em comum, suas múltiplas culturas e histórias muito contribuem para dar a Israel uma grande riqueza: distintas visões e formas de pensamento, tão importantes para estimular o olhar “fora da caixa” que é necessário para conseguir inovar.

O investimento em inovação também foi fundamental. Dessa forma, cerca de 5% do total do PIB é investido em tecnologia, laboratórios, universidades e capacitação. Assim, os setores público, privado e acadêmico trabalham em conjunto para criar o ambiente empreendedor. Não seria exagero dizer que os israelenses respiram o empreendedorismo desde a infância. É nesse período da vida que começam a ser estimulados – pela família, por professores e pelo governo – a terem um pensamento inovador e criarem formas de ganhar dinheiro.

Ao concluir o ensino básico, todos os cidadãos são obrigados a prestar o serviço militar. Por lá, aprendem a serem líderes, a lidar com responsabilidades, tomar decisões, serem flexíveis, questionar hierarquia e a trabalhar em grupo. Essa experiência proporciona o primeiro contato do jovem com a tecnologia de ponta, já que as Forças Armadas possuem orçamento para desenvolver, nas unidades de inteligência e tecnologia, soluções para a segurança nacional. Essas criações também são usadas para fins civis, para ajudar a população em desafios cotidianos. É bem comum que, após encerrar o serviço militar, os jovens abram uma startup. Um exemplo é clássico é a fundação do Waze.

Universidade de Tel Aviv

Universidade de Tel Aviv

Após o serviço militar, que é peça fundamental dessa cultura inovadora, os israelenses ingressam na universidade de forma significativamente tardia. Além disso, eles têm o costume de viajar pelo mundo durante a juventude. Assim, quando finalizam suas formações e entram no mercado de trabalho, já possuem uma bagagem de vida considerável e maior maturidade, o que ajuda na questão do empreendedorismo.