INDÚSTRIA 4.0 – Changing the World – Israeli Inventions

 

Tel AvivUm país jovem, porém com uma história milenar, Israel possui um dos melhores índices mundiais de educação e satisfação de vida entre seus cidadãos, uma das menores taxas de desemprego do mundo (5%) e faz parte da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). A força produtiva israelense é ambiciosa, criativa e possui habilidades únicas, o que leva muitos empresários a fazerem negócios com Israel.

A experiência do país em superar desafios gera tecnologias avançadas e oportunidades para muitos setores. De nanotecnologia, tratamento de água, cibersegurança, até equipamentos médicos, Israel possui os procedimentos mais avançados no mundo. Por meio de políticas direcionadas, do fomento do empreendedorismo e do investimento de cerca de 5% do PIB em P&D anualmente, Israel tornou-se um gigante da inovação, abrigando milhares de startups.

Israel possui  doze prêmios Nobel, oito somente na última década. Para começar, o país investe 9,2% do seu PIB em educação. A cada dez mil israelenses, 140 são engenheiros, contra 85 nos Estados Unidos e 65 no Japão.

Tel aviv

Tel Aviv, Israel

Para muitos, a ideia de manufatura traz imagens de um mundo em que a indústria pesada dominou as economias nacionais, entretanto, desde a Revolução Industrial, a manufatura e a tecnologia deram as mãos. Isto é verdade particularmente para a Indústria 4.0 – o aprimoramento de tecnologias, ferramentas e práticas de ponta para construir produtos de alta e mesmo de baixa tecnologia – que faz empresas serem mais eficientes aumentando a produtividade.

A base econômica e produtiva de Israel é muito pequena para competir com China e Índia quando se fala em fabricação em massa. Assim, o país é player global na manufatura avançada, impulsionado pela excelência das startups nacionais em alta tecnologia e P&D. O país se distinguiu no setor de alta tecnologia, incluindo big data e nuvem; sistemas de sensor e poderosos processadores avançados; tecnologias de fabricação aditiva difundidas; robótica industrial, com custos decrescentes e habilidades em rápido crescimento; e tecnologia da informação, permitindo novos modelos de colaboração.

De sua robusta indústria de defesa até seus centros de P&D estabelecidos por empresas como a HP e Intel, o vibrante ecossistema israelense alimentou a fabricação avançada no espaço da alta tecnologia. O setor israelense de Internet das coisas, líder mundial, serve como exemplo primário, dando lugar à próxima geração de inovação industrial.

Contudo, não só a alta tecnologia se beneficia: Israel se tornou pioneiro na integração de soluções sofisticadas para fabricação de produtos de baixa tecnologia, inclusive através de um programa que subsidia empresas de ramos como cerâmica, têxtil e de insumos plásticos, implementando processos inovadores.

Na questão das Smart Cities e de mobilidade urbana, Israel acelerou a inovação automotiva e em transportes graças a uma combinação de pesquisa e desenvolvimento de alta qualidade, conhecimento em áreas relevantes (como big data, inteligência artificial, cibersegurança, visão computacional e energia alternativa) e um ecossistema de inovação robusto, dessa forma, desenvolvendo soluções inovadoras para veículos autônomos, mobilidade, eletrificação, conectividade, dados e inteligência artificial.

Abaixo, seguem alguns índices de Israel:

  • 1° em qualidade de instituições científicas
  • 1° em patentes médicas per capita
  • 1° em gastos nacionais em Pesquisa e Desenvolvimento (% do PIB)
  • 1° em número de startups fora do Vale do Silício
  • 2° em inovação
  • 3° em empresas de tecnologia listadas na Nasdaq
  • 3° em infraestrutura científica
  • 4° em infraestrutura tecnológica