ÚLTIMAS NOTÍCIAS

 

PREFEITURA REALIZA 3ª EDIÇÃO DO PRÊMIO MUNICIPAL DOS DIREITOS HUMANOS

7Z2A3400 (Copy)

A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Subsecretaria de Defesa dos Direitos Humanos (SDHU), realizou na manhã desta segunda-feira (09) a terceira edição do Prêmio Municipal dos Direitos Humanos e homenageou 40 pessoas no Auditório da Câmara Municipal de Vereadores.

“Todo nosso trabalho é feito por pessoas e para pessoas. E tem coisa que a gente só entende passando. Por isso, vocês podem ter certeza que cada um, com suas particularidades, está sendo bem representado nas coordenadorias e nada mais justo que homenagear e prestigiar quem tem feito a diferença na nossa cidade. Talvez, no anonimato de muitos, mas vocês estão na palma da mão de Deus e isso que importa nessa vida”, disse o prefeito Marquinhos Trad aos convidados.

O Prêmio é concedido pela SDHU às pessoas físicas ou jurídicas que se destacam na promoção e defesa dos Direitos Humanos em Campo Grande e que demonstram através de projetos e ações, impactos sociais positivos em prol da sociedade.

Para o Subsecretario de Defesa dos Direitos Humanos, Ademar Vieira Junior, o Coringa, esta é uma atitude singela de reconhecimento e gratidão as ações e serviços prestados por diferentes pessoas, ou instituições em benefício do bem-estar da sociedade. “Nós defendemos as pessoas, todas e é por isso que estamos aqui hoje, agradecendo principalmente a gestão que enfrentou essa pauta e criou a subsecretaria que legitima nosso trabalho”.

A homenagem acontece como forma de reconhecer e demonstrar gratidão da gestão aos cidadãos e instituições que tem demonstrado através de atitudes a preocupação com a sociedade. É também uma forma de incentivar mais atores sociais a realizarem ações de impacto social positivo para a comunidade.

“Hoje foi um dia especial, a 3ª edição do Prêmio dos Direitos Humanos, homenageou 40 pessoas, homens e mulheres que de uma forma ou de outra se dedicaram como soldados, como guerreiros em defesa dos direitos mais importantes dos seres humanos. Direito à vida, direito à liberdade, à igualdade, à segurança, à propriedade. Pessoas que defendem esses direitos, que se dedicam em sua vida na defesa de garantias tão fundamentais para o cidadão, que na grande maioria das vezes, precisam ser protegidas, são pessoas que realmente passam por dificuldades na vida, por isso a importância do dia de hoje”, disse o secretário municipal de governo e relações internacionais, Antônio Lacerda.

A escolha dos homenageados é feita através dos Coordenadores da Subsecretaria de Defesa dos Direitos Humanos ligados a temática. Ao todo, são 8 categorias com cinco homenageados cada:

  1. Políticas Públicas, Promoção, Defesa, Garantia dos Direitos Humanos das Pessoas com Deficiência;
  2. Políticas Públicas, Promoção, Defesa, Garantia dos Direitos Humanos da População LGBT;
  3. Políticas Públicas, Promoção, Defesa, Garantia dos Direitos Humanos da Pessoa Idosa;
  4. Políticas Públicas, Promoção, Defesa, Garantia dos Direitos Humanos das Crianças e Adolescentes;
  5. Políticas Públicas, Promoção, Defesa, Garantia dos Direitos Humanos pela Igualdade Étnico Racial;
  6. Políticas Públicas, Promoção, Defesa, Garantia dos Direitos Humanos da População e Comunidades Indígenas;
  7. Políticas Públicas, Promoção, Defesa, Garantia dos Direitos Humanos da População em Situação e/ou Políticas Sobre Drogas;
  8. Políticas Públicas de Defesa dos Direitos Humanos Violados;

 

Neste ano, os homenageados são:
ASSOCIAÇÃO DAS MULHERES COM DEFICIÊNCIA DO MATO GROSSO DO SUL – AMDEFMS
ALENCINDA TIBÉRIO
ANTÔNIO PIO DA SILVA NETO
ASSOCIAÇÃO DE DEFICIENTES VISUAIS DE MATO GROSSO DO SUL
ASSOCIAÇÃO DE FAMÍLIAS, AMIGOS, PROFISSIONAIS E PESSOAS SURDAS – AFAPS –MS
ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DAS CRIANÇAS COM CÂNCER – AACC
AYMORÉ MARINHO
BARTOLINA RAMALHO CATANANTE
CARLOS ALBERTO DE ASSIS
CAUSADORES DA ALEGRIA
CLARICE SOUZA PINTO
DESAFIO JOVEM PENIEL
ELZA FERNANDES ORTELHADO
ENI MARIA SEZERINO DINIZ
FRATERNIDADE SEM FRONTEIRAS
FUNDAÇÃO UEZE ELIAS ZAHRAN
INSTITUTO EMBELLEZE JULIO DE CASTILHO
INSTITUTO LUTHER KING
INSTITUTO MANOEL BONIFACIO – IMB
INSTITUTO MIRIM
JEAN CARLOS BARROS DE CAMPOS
JOAO FERREIRA DA SILVA
JOSIAS JORDÃO RAMIRES
JUBERTY ANTÔNIO DE SOUZA
LAURA MARCIA ROSA DOS SANTOS
LEONARDO BASTOS FERREIRA
LILIAM VERONESE
MARIA NEIDE DE ARAUJO SILVA
NATALIA CHRISTIANE JORGE
NELSON PASSOS ALFONSO.
OSCAR MAURICIO MARTINEZ
OZEIAS EVANGELISTA DA SILVA
PESTALOZZI
PROJETO SIMÃO
RONILÇO GUERREIRO
SETOR PSICOSSOCIAL DO INSTITUTO PENAL DE CAMPO GRANDE
SICRED
SOCIEDADE ASSISTENCIAL MEIMEI
TIAGO DUQUE
TV MORENA

0e2d3171-941e-4038-b5f5-a055ecf6ef53

O Dia Nacional do Cego é comemorado anualmente em 13 de dezembro.

Também conhecido como o Dia Nacional do Deficiente Visual, esta data tem o objetivo de conscientizar a população contra o preconceito e discriminação, incentivando o espírito de solidariedade humana.

A cegueira ou deficiência visual é caracterizada pela perda total ou parcial da visão, seja por consequências congênitas (com o nascimento) ou adquirida ao longo da vida.

Uma das principais conquistas nos últimos anos foi a implantação de legislações que garantissem métodos de ensino específicos para crianças e adultos com deficiência visual, através do sistema braille.

Origem do Dia Nacional do Cego
O Dia Nacional do Cego foi criado a partir do Decreto de Lei nº 51.405, de 26 de julho de 1961, assinado pelo então presidente do Brasil, Jânio da Silva Quadros.

A criação da data tem como objetivo consolidar os princípios da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que visa os fundamentos de igualdade e solidariedade para todos os cidadãos.
Fonte:Calendarr Brasil

#PratodoMundoVer
Imagem de uma pessoa sentada em um banco, usando óculos escuro segurando uma bengala do lado esquerdo, e do lado direito um cão guia de cor clara da raça Labrador. Ao fundo uma floresta, representando um lindo jardim. Abaixo as logomarcas: CAPED


 

DIREITOS HUMANOS MUNICIPAL SEGUE COM PROGRAMAS E AÇÕES PARA PREVENÇÃO AO SUICÍDIO

A Prefeitura de Campo Grande através da Secretaria de Governo e Relações Institucionais da Subsecretaria de Defesa dos Direitos Humanos da Coordenadoria Geral de Ações de Defesa dos Direitos Violados realizou 89 palestras, atingindo diretamente 5.000 (cinco mil pessoas) durante o ano de 2019.

Esse foi o resultado do sucesso das ações promovidas por intermédio do ‘’Programa Viver a Vida’’ que tem como palestrante Marco Antônio de Moraes, que leva a mensagem sobre a prevenção ao suicídio, e fortalecimento de vínculos familiares para empresas privadas, órgãos do poder público, instituições, escolas e população.

400A9903-Copy1-1024x682

De acordo com o Advogado e Coordenador para direitos violados Marcos Ribeiro dos Anjos, o programa viver a vida é formado por uma equipe multidisciplinar de esclarecimento e prevenção ao suicídio, e tem como objetivo conscientizar sobre os agravos da saúde mental e prevenção. ‘’o programa objetiva o acesso, realizando as palestras e tendo assim um contato mais próximo com a população’’ diz o Coordenador.

As ações e palestras se estendem por todo o ano, não somente no setembro amarelo, levando à população informações de grande valia, já que esse tema tem grande importância nos dias atuais, contribuindo para a diminuição desta forma de mortalidade na nossa capital.

20181205_141804-768x432

Para o Subsecretario de Defesa dos Direitos Humanos Junior Coringa, o desafio central é aumentar o conhecimento do fenômeno por parte de profissionais de saúde, da comunidade escolar, dos serviços sociais e dos cidadãos em geral, ‘’ estamos trabalhando para que todos em conjunto possam ter um papel na prevenção ao suicídio. Só assim será possível identificar quem está em risco e encaminhar as pessoas para os serviços de saúde de modo a receberem tratamento eficaz’’, diz o Subsecretario.

Com a prioridade de prestar orientações e encaminhamentos à pessoa em situação de vulnerabilidade, acompanhando e monitorando os casos atendidos, possibilitando a construção de um banco de dados, a Subsecretaria de Defesa dos Direitos Humanos através da Prefeitura de Campo Grande continuará trabalhando para que esta questão seja erradicada da nossa capital.

22

Já para o palestrante Marco Antônio de Moraes, depois de todas as ações realizadas no Setembro Amarelo continuamos com a mesma sensação da necessidade de relacionamento, principalmente entre pais e filhos,‘’ Os pais nos falam que realmente precisam mudar, criar mais tempo para ficar com seus filhos e as crianças continuam reclamando da ausência e mais atenção por parte de seus pais. Chegamos na verdade a conclusão que conseguiríamos diminuir e muito diversos casos, caso as famílias passassem a se relacionar mais intimamente. Tivemos o privilégio de estar em vários lugares e situações diferentes e devemos continuar nos próximos meses do ano. Essa é uma ação que não deve ficar só no mês de setembro mas é para todas as horas”, pontuou  Marco Antônio.

30-1-819x1024

Mais informações e agendamentos de palestras podem ser obtidas diretamente na Subsecretaria de Defesa dos Direitos Humanos, localizada na Rua Barão do Rio Branco, 2260, centro da Capital ou ainda pelo telefone, (67) 2020-1181.


 

 

NOVEMBRO - Datas Comemorativas-01

Neste dia 10 de novembro, o País alerta à população sobre a importância das ações de combate e prevenção à surdez.
Surdez é a diminuição da capacidade de ouvir abaixo de níveis considerados normais. Ela pode ser leve, moderada ou grave.
De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), pelo menos 800 milhões de pessoas sofrem alguma perda auditiva no mundo.
Segundo dados da Sociedade Brasileira de Otologia (SBO), de cada mil crianças nascidas no País, de três a cinco já nascem com deficiência auditiva. Entre os 20 e 40 anos de idade, a surdez acomete 15% das pessoas. Já acima dos 70 anos, a prevalência pode chegar a 50%.
Na pesquisa da perda auditiva, há exames adequados para todas as idades. O exame das otoemissões acústicas (teste da orelhinha) é obrigatório em todos os recém-nascidos. Nas crianças maiores e adultos, a audiometria é realizada como um check-up de rotina da saúde auditiva. Ambos são exames simples, rápidos, indolores, sem riscos e realizados em inúmeras clínicas de otorrinolaringologistas e fonoaudiologia, na maioria das cidades do País.
Na terceira idade, devido ao envelhecimento natural dos órgãos, o problema aparece com certa frequência, sendo mais perceptível após os 65 anos. E já foi comprovado que a perda auditiva no idoso é um dos mais importantes fatores de desagregação social. Estudos publicados nos últimos anos comprovam também os danos ao funcionamento cerebral causados pela perda de audição. Mesmo níveis “pequenos” de surdez, se não tratados, aumentam a chance de se remodelarem as conexões neuronais ou mesmo a diminuição da massa cerebral, com maior risco de demências, como a doença de Alzheimer. A notícia boa é que a reabilitação da audição através de aparelhos auditivos ou implantes cocleares minimiza ou até mesmo elimina esses riscos.
 Algumas medidas de prevenção são essenciais para manter uma audição saudável. São elas:
– Respeite os intervalos de repouso sonoro quando a exposição a altos níveis de intensidade é constante;
2 – Use protetores auditivos quando recomendado, principalmente em locais de trabalho que causam risco à audição pela exposição a altos níveis de intensidade sonora;
3 – Objetos pontiagudos devem estar sempre afastados do ouvido;
4 – O cotonete deve ser usado para limpeza do excesso de cera na parte mais externa do ouvido e para secar a orelha. Jamais deve ser introduzido no canal;
5 – Evite a automedicação;
6 – Evite a exposição prolongada a sons em forte intensidade. Para isso, controle o volume do seu Smartphone, TV ou som do carro.
FONTE: OTOCENTRO

14- alfabetizaçãoDia Nacional da Alfabetização é comemorado anualmente em 14 de Novembro, no Brasil.

A data tem o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da implantação de melhores condições de ensino e aprendizagem no país.

A alfabetização não se baseia unicamente no ato de aprender a ler e a escrever, mas também no desenvolvimento da capacidade de compreensão, interpretação e produção de conhecimento.

Fonte: Calendarr- Brasil


 

NOVEMBRO - Datas Comemorativas-03

Atualmente, a Diabetes é a mais comum das doenças não transmissíveis com elevada prevalência e incidência crescente. Atinge já cerca de 415 milhões de pessoas em todo o mundo e continua a aumentar em todos os países, estimando-se que em 2040 haja um aumento para 642 milhões de pessoas atingidas pela doença.

O Dia Mundial do Diabetes, celebrado em 14 de novembro, foi criado em 1991 pela Federação Internacional de Diabetes (IDF) junto à Organização Mundial de Saúde (OMS) para conscientizar o mundo inteiro sobre os problemas associados à doença: alta mortalidade por doenças cardiovasculares (infartos e insuficiência cardíaca), AVC (derrame), complicações específicas da doença, como insuficiência renal, perda da visão, alteração de sensibilidade nos membros inferiores e consequentes úlceras e amputações.

Fonte: SBD


 

15- proclamação

Dia da Proclamação da República do Brasil é comemorado anualmente dia 15 de novembro e é considerado um feriado nacional.

A Proclamação da República do Brasil foi realizada em 15 de novembro de 1889.

O evento aconteceu no Rio de Janeiro, a então capital do país, por um grupo de militares liderado pelo Marechal Deodoro da Fonseca.

Marechal Deodoro da Fonseca instituiu uma república provisória e, posteriormente, se consagrou o primeiro presidente do Brasil.

Fonte: Calendarr- Brasil


 

NOVEMBRO - Datas Comemorativas-06

Pacientes que passam por procedimentos cirúrgicos no intestino, delgado ou grosso, podem necessitar da bolsa de colostomia após a cirurgia. Em alguns casos esse uso é provisório até que o paciente se reabilite; em outros casos, pode ser permanente.

Segundo o coloproctologista Alvaro Steckert Filho, médico do Gastro Medical Center, em Florianópolis, a bolsa é utilizada geralmente para prevenir contaminações do abdome por fezes, redirecionando a passagem das mesmas do ânus para a área externa da barriga.

“Quando o paciente faz o uso da bolsa ele não sente cólicas e não consegue controlar a vontade de ir ao banheiro, as fezes saem espontaneamente entre meia e uma hora após as refeições. Ele sente que evacuou porque a bolsinha fica mais pesada”, explica o médico.

A bolsa coletora tem capacidade de até 500ml e deve ser esvaziada conforme vai enchendo – uma média de até três vezes ao dia – diretamente no vaso sanitário. Existem dois tipos de bolsa no mercado, uma transparente e outra de coloração bege. Com esta, nem o paciente, nem os cuidadores conseguem ver as fezes, que costuma ter um aspecto mais pastoso.

“A indicação médica é que o paciente tenha cuidados na higiene da região e que a bolsa seja trocada a cada cinco dias. Essa substituição pode ser feita pelo paciente em casa mesmo”, orienta.

Em caso de colostomias provisórias, decorrentes de doenças como diverticulite aguda grave, controle de fístulas, traumas abdominais por armas brancas ou armas de fogo, ou até mesmo após cirurgias curativas para tumores, o paciente pode passar por uma reversão do procedimento, quando as partes do intestino são reunidas em um momento posterior.

No entanto, existem pessoas que precisar fazer o uso da bolsa a vida toda devido a amputação do reto, traumas extensos do reto baixo e incontinência fecal acentuada e intratável, além de casos onde tumores abdominais que não possam ser ressecados.

O médico salienta que ainda existe um mito em relação ao uso da bolsa, mas que ela é adaptável à vida diária e não atrapalha na hora de dormir.

“Em algumas ocasiões é possível fazer o uso de tampões que podem substituir a bolsa. Com isso, os pacientes podem usar roupas mais justas e até roupas de praia”, comenta o médico que alerta que o importante é que a bolsa permite uma vida normal e que as pessoas têm que livrar do preconceito.

FONTE: GASTRO MEDICAL CENTER


16- tolerancia

Dia Internacional da Tolerância é comemorado anualmente em 16 de Novembro.

A data tem o objetivo de promover o bem estar, o progresso e a liberdade de todos os cidadãos, assim como fomentar a tolerância, o respeito, o diálogo e cooperação entre diferentes culturas, religiões, povos e civilizações.

O Dia Internacional da Tolerância combate qualquer tipo de intolerância e preconceito, seja ele religioso, sexual, econômico ou cultural.

Com a globalização, a pluralidade cultural que existe no mundo se tornou ainda mais interligada, exigindo uma maior compreensão das pessoas em respeitar os diferentes modos de viver de cada cidadão. Isso, no entanto, não significa que devemos aceitar as ideias ou doutrinas de todas as sociedades, mas apenas aprender a respeitá-las e conviver com as diferenças.

Fonte: Calendarr- Brasil


18- conselheiro tutelar

Dia 18 de novembro é o Dia do Conselheiro Tutelar. A data é uma homenagem aos profissionais que, eleitos pela comunidade, defendem os direitos da criança e do adolescente em todo o Brasil. Os conselheiros e conselheiras tutelares em todo o país atuam, por exemplo, no recebimento de denúncias de maus-tratos, violência sexual, trabalho infantil, entre outras violações de direitos. Também são responsáveis pela fiscalização e aplicação das políticas públicas direcionadas à população infanto-juvenil.

Fonte: https://www.direitosdacrianca.gov.br/

 

 

 

 

19- dia do homemChamar atenção para os cuidados da saúde masculina é um dos objetivos principais dessa comemoração.

Nesta data também se debate outros temas, como a conscientização da igualdade entre gêneros e o destaque dos papéis positivos do homem na sociedade.

International Men’s Day foi comemorada pela primeira vez em 1999, em Trinidad e Tobago, promovida pelo Dr. Jerome Teelucksingh e com o apoio das Organizações das Nações Unidas – ONU.

A ideia do Dr. Jerome era de ajudar os homens a estarem mais atentos a sua saúde, assim como conscientizá-los sobre os princípios da igualdade de gêneros.

O Dia Internacional do Homem também é usado de mote para a luta contra o sexismo, destacando a igualdade entre os gêneros na comunidade, no casamento, nas construções familiares e na educação dos filhos.

Fonte: Calendarr- Brasil

2b77f1c8-6f7c-4904-b474-96105d640e31

Dia Nacional da Consciência Negra
O Dia Nacional da Consciência Negra é celebrado, no Brasil, em 20 de novembro.
Foi criado em 2003 como efeméride incluída no calendário escolar — até ser oficialmente instituído em âmbito nacional mediante a lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011, sendo feriado em cerca de mil cidades em todo o país e nos estados de Alagoas, Amazonas, Amapá, Mato Grosso e Rio de Janeiro através de decretos estaduais.
A ocasião é dedicada à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A data foi escolhida por coincidir com o dia atribuído à morte de Zumbi dos Palmares, em 1695, um dos maiores líderes negros do Brasil que lutou pela libertação do povo contra o sistema escravista.
O Dia da Consciência Negra é considerado importante no reconhecimento dos descendentes africanos e da construção da sociedade brasileira. A data, dentre outras coisas, suscita questões sobre racismo, discriminação, igualdade social, inclusão de negros na sociedade e a cultura afro-brasileira, assim como a promoção de fóruns, debates e outras atividades que valorizam a cultura africana.
No contexto histórico, as celebrações do 20 de novembro surgiram na segunda metade dos anos 1970, no âmbito das lutas dos movimentos sociais contra o racismo. O idealizador do Dia Nacional da Consciência Negra, foi o poeta, professor e pesquisador gaúcho Oliveira Silveira. Silveira foi um dos fundadores do Grupo Palmares, associação que reunia militantes e pesquisadores da cultura negra brasileira, em Porto Alegre. Em 1971, ano da fundação do Grupo, ele propôs uma data que comemorasse o valor da comunidade negra e sua fundamental contribuição ao país.

Segundo a historiadora da Fundação Cultural Palmares, Martha Rosa Queiroz, a data é uma forma encontrada pela população negra para homenagear o líder na época dos quilombos, fortalecendo assim mitos e referências históricas da cultura e trajetória negra no Brasil e também reforçando as lideranças atuais. “É o dia de lembrar o triste assassinato de Zumbi, que é considerado herói nacional por lei, e de combate ao racismo”, afirma.

20- direitos da criança A origem do Dia Internacional dos Direitos da Criança é bastante clara e significativa: foi a 20 de novembro de 1959 que se proclamou mundialmente a Declaração dos Direitos das Crianças e a 20 de novembro de 1989 que se adotou a Convenção sobre os Direitos da Criança. O objetivo da data é salientar e divulgar os direitos das crianças de todo o mundo.

A Declaração dos Direitos da Criança foi adaptada da Declaração Universal dos Direitos Humanos, tendo a seguinte redação:

 

  • Todas as crianças têm o direito à vida e à liberdade.
  • Todas as crianças devem ser protegidas da violência doméstica, do tráfico humano e do trabalho infantil.
  • Todas as crianças são iguais e têm os mesmos direitos, não importando a sua cor, raça, sexo, religião, origem social ou nacionalidade.
  • Todas as crianças devem ser protegidas pela família e pela sociedade.
  • Todas as crianças têm direito a um nome e a uma nacionalidade.
  • Todas as crianças têm direito a alimentação, habitação, recreação e atendimento médico.
  • As crianças portadoras de deficiências, físicas ou mentais, têm o direito à educação e aos cuidados especiais.
  • Todas as crianças têm direito ao amor, à segurança e à compreensão dos pais e da sociedade.
  • Todas as crianças têm direito à educação.
  • Todas as crianças tem direito de não serem violadas verbalmente ou serem agredidas por pais, avós, parentes, ou mesmo a sociedade.

Fonte: Calendarr- Brasil


 

25- marçalMarçal de Souza Tupã’i. Por lutar pelo direito dos indígenas à terra, foi vítima de uma emboscada no dia 25 de novembro de 1983, no município de Antônio João, Mato Grosso do Sul.

Aos 3 anos muda-se para a aldeia de Te’ýikue, na cidade de Caarapó. Órfão aos 8 anos, passa a morar na Nhanderoga, nome dado a orfanatos de crianças indígenas, na Missão Caiuá, área indígena de Dourados. Aos 12 anos vai com um casal de missionários para Campo Grande. Conhece um oficial do Exército que o leva para o Recife, onde realiza trabalho braçal em troca de comida, roupa e estudo.

De volta a Dourados, é contratado pela Missão Caiuá como professor de crianças órfãs e intérprete de guarani. Em 1959 faz um curso na Organização Mundial de Saúde (OMS) e forma-se atendente de enfermagem, profissão que exerce até a morte. Desde o início dos anos 70 denuncia a expropriação de terras indígenas, a exploração ilegal de madeira, a escravização de índios e o tráfico de meninas índias.

Em 1980, é escolhido representante da comunidade indígena para discursar em homenagem ao papa João Paulo II durante sua primeira visita ao Brasil.

No mesmo ano, envolve-se na luta pela posse de terras na área indígena de Pirakuá, em Bela Vista. A demarcação é contestada pelo fazendeiro , que consideram a região parte de sua propriedade. Após diversas ameaças e agressões, em 1983, Tupã é assassinado a tiros no rancho de sua casa, na aldeia Campestre.

Marçal de Souza, Tupã-Y, foi defensor incansável dos povos nativos da América do Sul e um dos líderes precursores das lutas dos guaranis pela recuperação e pelo reconhecimento de seus territórios ancestrais

Fonte: Instituto Sócio Ambiental


 

25- violencia contra a mulher

A data tem o objetivo de alertar a sociedade sobre os casos de violência e maus tratos contra as mulheres. A violência física, psicológica e o assédio sexual são alguns exemplos desses maus tratos.

De acordo com as estatísticas, uma em cada três mulheres sofre de violência doméstica. A violência contra a mulher é uma questão social e de saúde pública, não distingue cor, classe econômica ou social, e está presente em todo o mundo.

A Organização das Nações Unidas (ONU), desde 1999, reconhece o dia 25 de novembro como o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres.

A data surgiu em decorrência do Dia Latino-americano de Não Violência Contra a Mulher, que foi criada durante o Primeiro Encontro Feminista Latino-Americano e Caribenho de 1981, realizado em Bogotá, Colômbia.

O 25 de novembro foi escolhido em homenagem às irmãs Pátria, Maria Tereza e Minerva Maribal, que foram violentamente torturadas e assassinadas nesta mesma data, em 1960, a mando do ditador da República Dominicana Rafael Trujillo.

Fonte: Calendarr- Brasil


27- combate ao cancerO principal objetivo desta data é alertar a população brasileira sobre os diferentes tipos de tratamentos e, principalmente, como evitar esta doença, considerada a segunda que mais mata no Brasil e no mundo.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde – OMS, aproximadamente 30% das mortes provocadas pelo câncer poderiam ter sido evitadas, caso o paciente tivesse feito o diagnóstico prematuramente, ou com ações preventivas para garantir hábitos de vida mais saudáveis.

No Brasil, o Instituto Nacional de Câncer (INCA) é o órgão responsável pela coordenação e desenvolvimento de campanhas e estudos relacionados com esta doença, em parceria com o Ministério da Saúde.

Segundo pesquisas estatísticas do INCA, os tipos de câncer que mais afetam os brasileiros são:

  1. câncer de pele
  2. câncer de próstata
  3. câncer de mama
  4. câncer de cólon e reto
  5. câncer de pulmão
  6. câncer de estômago.

Fonte: Calendarr- Brasil

Rede Municipal de Sites e Serviços On-line de Campo Grande MS

http://www.campogrande.ms.gov.br/