Semadur apresenta ações voltadas ao monitoramente da qualidade das águas superficiais urbanas para alunos da rede pública

Apresentação do programa Córrego Limpo (2)

Campo Grande, 30/08/2019 às 17:52

Dentre as ações desenvolvidas pelo Programa Córrego Limpo, que visa o monitoramente e acompanhamento da qualidade das águas superficiais do município, estão as atividades voltadas à conscientização e educação ambiental. Desta forma, técnicos da Semadur palestraram nesta sexta-feira (30) para alunos da Escola Estadual Professor Silvio Oliveira dos Santos demonstrando os trabalhos inerentes à fiscalização ambiental, ao combate à poluição nos córregos e rio e enfatizando as ações realizadas na Bacia Hidrográfica do Segredo, Prosa e Rio Anhanduí.

Partiu do grupo escolar convidar representantes da Semadur para abordarem as ações desenvolvidas pela pasta voltadas para a preservação dos recursos hídricos.

O professor disciplina Projeto de Vida, Cesar Floriano, explicou que realiza junto aos alunos trabalho voltado para o lançamento de um e-book, que fomentará uma leitura sustentável e também abordará a temática da preservação ambiental contextualizada a partir da junção dos córregos Segredo e Prosa que originaram o Rio Anhanduí  “Eu sempre tive muito interesse em fazer algo pelo rio Anhanduí ou a partir dele e como nossa escola fica à sua margem, pensei em algo que pudesse gerar um impacto social.  Então, comecei a pensar em tudo que envolvia esta questão, como aspectos históricos e culturais. A ideia do e-Book surgiu para fomentar a leitura sustentável e atender a proposta da I FECCS (Feira Científica Cultural Silvio) que traz o tema Bioeconomia, Desenvolvimento e Riqueza para o Desenvolvimento e como o subtema aborda a questão da regionalização, decidi propor aos alunos explorarem as riquezas do rio Anhanduí. Nasceu então a ideia do livro virtual Segredos em Prosa, aproveitando a história que envolve o nome desses córregos. Assim, o livro digital contará os segredos dos moradores do entorno dos córregos e do rio em forma de prosa”.

A diretora escolar, Jaqueline Dias, destaca a relevância essa trabalho de conscientização ambiental dos alunos em relação a preservação do meio ambiente “Em relação a preservação ambiental, desenvolver este tipo de consciência ecológica em nossos estudantes é urgente na situação em que se encontra o planeta. Desta forma, envolvê-los em projetos que abordam temas como biodiversidade e sustentabilidade favorecem o desenvolvimentos das competências socioemocionais e o protagonismo juvenil”, Jaqueline Dias, diretora.

A aluna Caroline Barbosa da Silva, 15 anos, participou da palApresentação do programa Córrego Limpo (1)estra e pontuou sobre as informações absorvidas “Aprendi o nomes dos córregos de Campo Grande, não tinha conhecimento em relação a isso. E que a água descartada das máquinas de lavar, e aquelas de quando lavamos o quintal que as pessoas jogam na rua vão para os córregos e podem poluí-los. Então, esse conhecimento irei utilizar no meu dia a dia e passar para outras pessoas. Além da importância em reciclar os resíduos e que tudo isso ajuda na preservação do meio ambiente”.

Já o aluno Luiz Felipe, 15 anos, afirmou que a palestra foi importante no sentido da conscientização dos alunos sobre os problemas ambientais “Conhecemos e aprendemos sobre situações ambientais que não imaginávamos, como por exemplo, que antes de sair lavando o quintal, devemos varrê-lo para assim economizar água. E como já estamos com um projeto sendo desenvolvido na escola, essa palestra vem complementar esses conhecimentos”.

Programa Córrego Limpo

O Programa Córrego Limpo constitui-se na implantação de uma rede de monitoramento dos córregos e rio dentro do perímetro urbano de Campo Grande; em um programa de fiscalização e no desenvolvimento de atividades de educação ambiental para conscientizar a população. Inicialmente, os corpos d’água foram divididos por microbacia hidrográfica e analisados conforme suas peculiaridades. Esta divisão em microbacia permite saber qual a área de contribuição para cada curso d’água.

Desta forma, houve a escolha dos postos de monitoramento que são pontos georreferenciados. Nestes pontos são realizadas trimestralmente coletas de amostras e feitas análises laboratoriais. Os resultados obtidos passam por um cálculo matemático e são transformados em um índice numérico – o IQACETESB – que é interpretado comparando-se com uma escala numérica e, conforme o valor, indicam se a qualidade da água está: péssima, ruim, regular boa ou ótima.

Os resultados das análises, além de constituir um banco de dados da evolução da qualidade da água dos recursos hídricos no município, subsidiam todas às demais ações do programa. É possível, por exemplo, saber qual o trecho do curso d’água está mais poluído, informação importante para que se possa identificar quais as principais fontes poluidoras e combatê-las.

A questão é mundial e o problema requer soluções imediatas. Com Campo Grande não poderia ser diferente, pois a água de seus córregos é um recurso dotado de grande valor para seus habitantes.

 

 

Rede Municipal de Sites e Serviços On-line de Campo Grande MS

http://www.campogrande.ms.gov.br/