Mais de 100 alunos da escola municipal Lenita de Senna Nachif participam de projeto de robótica com disputa de robôs

Campo Grande, 25/09/2019 às 10:18

O resultado da 1ª Mostra de Robótica da escola municipal Lenita de Sena Nachif, localizada no bairro Jardim Centro Oeste, foram 15 robôs que chamaram a atenção pela criatividade. Ao todo 105 alunos de três turmas do 9º ano participaram de uma disputa criando diversos robôs produzidos a partir do conhecimento adquirido no projeto de robótica.  A ideia de implantar a robótica na escola foi de um grupo de professores que desejavam trabalhar o tema de modo interdisciplinar envolvendo diversos conteúdos.

A mostra de robótica é a culminância do projeto desenvolvido no 1º, 2º e 3º bimestres com os estudantes que cursam o  9º ano na escola.

Robótica_1O objetivo foi trazer a robótica como ferramenta para que os alunos pudessem aprender sobre todas as disciplinas e também a habilidade de trabalhar em equipe.

O prefeito Marquinhos Trad prestigiou a Mostra e conheceu os projetos desenvolvidos destacando a importância desse trabalho. “É um trabalho que envolveu professores e alunos em um projeto que contribui para um ensino de qualidade”, disse. O prefeito  incentivou os estudantes a continuarem com os trabalhos lembrando a eles que, no mercado de trabalho, o conhecimento tecnológico é essencial para todo profissional.

A secretária adjunta de Educação, Soraia Campos, destacou o empenho dos professores para realizar a mostra.  “É uma alegria participar desse evento. Quero agradecer a todos que trabalham na unidade, as famílias e alunos que se dedicaram a esse projeto. Vários professores adequaram seus conteúdos para atender o projeto e isso é dedicação. É motivo de muita alegria ver esse talento todo. O mais importante é o conhecimento que vocês tiveram durante esse projeto”, comentou.

O diretor da escola lembrou o empenho de toda a equipe pedagógica para realizar o evento e mencionou a importância deste tipo de ação para a aprendizagem dos alunos. “Os professores tiveram uma tarefa difícil Robótica_6para conciliar o ensino formal e o projeto, mas com empenho conseguiram desenvolver o trabalho. Nosso laboratório  se consolida como um espaço de aprendizagem relevante, que desenvolve projetos de iniciação científica  e envolvem todas as disciplinas. Sem o empenho de todos os envolvidos esse projeto jamais seria possível”.

De acordo com a coordenadora pedagógica a ideia inicial era fazer tudo com sucatas. “Sabemos que para que o robô funcione ele precisa de uma placa de programação, acoplamos a placa de arduino a uma carcaça onde eles utilizaram sucatas e peças de equipamentos eletrônicos. Cada sala foi dividida em equipes e cada aluno desenvolveu um  trabalho específico no grupo. O resultado são 15 robôs produzidos pelas cinco equipes. A interatividade foi importante e criamos algumas regras para estimular a participação dos alunos”, explicou.

Robótica_3A professora Kátia Cilene Borges, que esteve à frente desse projeto comentou que o trabalho interdisciplinar com os alunos  contou com a participação de arte contemporânea, ciências e o reaproveitamento de materiais. “Já na disciplina de língua portuguesa foi apresentada a interpretação de textos relacionados a robótica. Na matemática o foco foi o raciocínio lógico e na física, a aprendizagem  sobre capacitores e polo negativo e positivo. Na geografia forram trabalhados temas relacionados às revoluções industriais”.

A aluna Ana Gabriele da Silva Pavão, do 9º ano, gostou da experiência de participar da primeira mostra de robótica e percebeu que vários aparelhos tecnológicos fazem o uso dessa tecnologia. “Nunca tinha feito um robô, mas já estudava sobre programação. Estou gostando da experiência, mexer com computação foi muito diferente para mim. Soube mais sobre programação e que ela está em vários setores da nossa vida, como celulares e televisores. Gostei muito de elaborar os detalhes dos robôs, a montagem. Fiz uma tartaruga e coloquei luzes e rodinhas de bicicleta, isso me surpreendeu em relação a outros robôs que já vi. Penso em estudar Direito, mas se tivesse que pensar em uma segunda opção, seria a robótica”, completou.