Prorrogada campanha de combate ao uso do celular

Campo Grande, 10/06/2016 às 14:11

Constatado o alto índice de infrações desta semana, será ampliada a operação de fiscalização e orientação quanto ao uso do celular no trânsito. A campanha, realizada pela Agência Municipal de Transporte e Trânsito (AGETRAN), ainda será educativa na semana seguinte (13 a 17 de junho), porém a partir do dia 20 junho os agentes de trânsito poderão autuar os infratores.

Além de atrapalhar o fluxo semafórico e pôr em risco outros que transitam pela via, a fração de segundos que o condutor perde ao digitar ou atender uma ligação no celular pode causar graves acidentes.

Um estudo do NHTSA – departamento de Trânsito dos Estados Unidos – revel que o condutor que faz uso de dispositivos móveis enquanto dirige tem aumentada em 400% a probabilidade de se envolver em acidentes. Digitando texto ao volante, as chances ampliam 23 vezes e falar enquanto dirige, o perigo de um desastre acontecer aumenta em seis vezes. O risco é muito maior do que o causado pela embriaguez ao conduzir. Ao usar o aparelho o condutor fica desatento ao que está acontecendo a sua volta, perdendo a capacidade de visão 360 graus possibilitada pelos retrovisores e vidros dianteiros, já que seu interesse fica direcionado ao aparelho.

De acordo com o seguro Dpvat, pago em caso de morte ou invalidez, são registrados cerca de 1,3 milhão de acidentes por ano relacionados ao uso do celular. Os dados também mostram que 80% dos motoristas admitem que utilizam o aparelho ou outras tecnologias que geram distração enquanto dirigem.

Aqui em Campo Grande, além do uso de aparelhos celulares durante a condução de veículos, foi observado durante a operação um alto índice da falta de uso do cinto de segurança. O uso do item é indispensável, já que ele pode evitar, ou ao menos minimizar, ferimentos de acidentes graves como trauma craniano e lesão da medula, entre outros. Com o cinto de segurança, a chance de uma dessas lesões em um acidente é de 45%. Se a pessoa estiver sem o cinto, o índice sobe para 75%, de acordo com a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet).

Os locais monitorados serão os corredores de tráfego que fazem deslocamento no sentido bairro-centro.

A prática da direção defensiva por parte dos condutores e o respeito e a consciência de todos os que utilizam as vias públicas farão com que o trânsito seja mais pacífico e os acidentes diminuam.

Fonte/Autor: Assessoria do Gabinete/Rodrigo