Com metodologia diferenciada, E.M. Osvaldo Cruz faz parceria com Agetran para promover trânsito mais seguro

Foto: Azarias F. Nascimento

Campo Grande, 29/06/2015 às 15:43

A Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) promove ações do Sistema Dinâmico de Melhoria Contínua (SDMC) Escola Segura em diversas instituições de Campo Grande. Nesta manhã de segunda-feira (29), está sendo o encerramento de uma série de atividades na Escola Municipal Oswaldo Cruz, localizada na Avenida Noroeste, 5500, no Centro da Capital. A escola já tem uma metodologia diferenciada e essa parceria com a Agetran resultou positivamente ao objetivo do projeto, que é promover um trânsito mais seguro.

Nesta manhã, das 8h às 11h, os organizadores estão apresentando as atividades que os alunos desenvolveram e, por volta das 19h de hoje, haverá uma palestra respeito da Vida Segura, contou o servidor do departamento de Educação para o Trânsito da Agetran, José Adriano da Silveira Lopes, otimista com essa integração já que “Além de proporcionar um aprendizado efetivo, esse tipo de projeto contribui com a valorização dos alunos que têm defasagem (idade e série). Eles aderiram bem e fico feliz com a repercussão”

O Osvaldo Cruz atende adolescentes de 15 a 17 anos, com o objetivo de fazer a correção do currículo. “Com educação diferenciada, essa é a 3ª edição da parceria com a Agetran. Dessa vez, elaboramos atividades dentro de cada área do conhecimento, por exemplo, o dominó com as placas de sinalização remete à matemática e a educação artística se responsabilizou pela cidade do trânsito”, explicou o diretor Mauricio Macedo Vieira.

Neste ano, a Agetran tem a meta de atender 55 comunidades escolares das redes públicas e privadas de Campo Grande e entorno, contemplando a media de mil alunos. São oferecidas diversas atividades para integrar segurança viária ao sistema educacional, promovendo palestras, capacitação, abordagens educativas, blitz, atualização pedagógica sobre educação para o trânsito e entro outras.

“Ajudei fazendo abordagem nas ruas e em sala de aula. Todos que participaram gostaram. Foi bastante divertido. É bom para saber dos meus direitos e deveres como pedestre e, futuramente, motorista”, contou Marcos Duarte Ferreira, de 16 anos, que está cursando o oitavo ano.

Fonte/Autor: Mariana Anunciação – DRT 113/04